0
COMPARTILHAMENTO
Pinterest Google+

Essa pequena e acolhedora cidade da serra gaúcha é destino para aqueles que desejam explorar os Parque dos Aparados da Serra e da Serra Geral, região da Terra dos Cânions, considerados como o Grand Cânion Brasileiro. Cambará do Sul está localizada, no Rio Grande do Sul, e faz divisa com o município de Praia Grande, no estado de Santa Catarina. Ou seja, a parte de cima dos cânions pertence ao Rio Grande do Sul, a parte de baixo — e interior dos cânions — é território de Santa Catarina. As atrações naturais da região incluem, montanhas rios e cachoeiras, formando um cenário único no Brasil. A diversidade de paisagens proporciona desde expedições a lugares quase intocados, como a Trilha do Boi até uma trilha leve para contemplação do cânion da Fortaleza. Com formação geográfica é favorável para o turismo de aventura e ecoturismo.

cambara-sul-5

Localizada a 186km de Porto Alegre, a 1.000 metros de altitude, a cidade é muito visitada no inverno, quando as temperaturas caem, podendo até nevar. Apesar de pequena, Cambará do Sul oferece boa estrutura turística, com ótimas hospedagens e restaurantes. O ponto negativo é que não existe banco, por isso, é importante levar dinheiro em espécie. Sobretudo, para consumir em estabelecimentos familiares. Os demais locais aceitam cartão de crédito. Para saques, há duas opções: Banco do Brasil (no Banco dos Correios) e Caixa Econômica (na Lotérica).

Parque Nacional de Aparados da Serra

O principal atrativo é o cânion Itaimbezinho, o menor deles, com 5.800 metros de extensão. Existem mais de 35 cânions em todo complexo do parque, com profundidade média de 700 metros. Dentro do parque nacional são preservados os últimos bosques de araucárias do Brasil. Por ser uma reserva nacional, só é permitido fazer passeios de caminhada. Além da contemplação do Itaimbezinho, mas três trilhas fazem parte do parque nacional:

  • Trilha do Vértice
  • Trilha do Cotovelo
  • Trilha do Rio do Boi

Distância de Cambará: 18 km —1km de afasto e 17km  de estrada de terra

Acesso: RS 429

Entrada: R$7 + R$5 de estacionamento (crianças até 7 anos não pagam)

Como chegar…

…de carona: Não é fácil ir sem carro. Em alta temporada é possível pegar carona na estrada, única entrada (RS 429) para o cânion.

…transfer: A agência Guia Aparados da Serra disponibiliza serviço para Itaimbezinho de quinta a domingo, por R$35/pessoa. Para saber os horários visite o site: guiaaparadosdaserra.com.br

Horário de funcionamento: terça a domingo, das 8h às 18h. A Trilha do Cotovelo fecha às 15h.

cambara-sul-0

cambara-sul-8

Parque Nacional da Serra Geral

O cânion da Fortaleza é um dos mais bonitos da região, se não, o mais bonito. O desfiladeiro de 8km com profundidade média de 900m, é um dos cartões postais da Rota dos Cânions. É realmente um lugar impactante, onde podemos contemplar a grandiosidade da natureza. É impossível não se emocionar! Para chegar até o mirante é preciso percorrer uma trilha leve, de 7km até um dos pontos mais altos do cânion. Seguindo ao norte, uma trilha marcada leva até o cânion Malacara e Churriado.

Distância de Cambará: 23 km —12km de afasto e 17km  de estrada de terra

Acesso: RS 012

Entrada: Gratuita 

Como chegar: Aconselho contratar o transporte das agências, pois a estrada é pedregosa. Se for com carro próprio, vá devagar.

Horário de funcionamento: diariamente, das 8h às 17h

cambara-sul-6

cambara-sul-4

cambara-sul-2

cambara-sul-1

Como chegar em Cambará do Sul de ônibuspicto-bus

saindo de Porto Alegre

Para mim, o deslocamento até Cambará deve ser melhorado, pois existe apenas uma empresa que faz o trajeto e o ônibus sai às 6h.
Viação Citral: de segunda a sábado, às 6h
.

saindo de Caxias do Sul

Empresa São Marcos: de segunda a sábado, às 8h
segunda, terça, quarta e sexta, às 17h
sábado às 13h30
domingo às 20h30
www.expressosaomarcos.com.br

Melhor época
picto-epoca

Qualquer época do ano é bom. No outono e inverno o clima é de frio intenso. Em alguns dias a temperatura fica abaixo de zero, com possibilidades geadas e até de neve. Nessa época, há pouca chuva e a visibilidade dos cânions é melhor. Verão e primavera são épocas de chuva com mais nebulosidade. As chuvas ocorrem com mais frequência em setembro. (Existe a possibilidade da trilha ser fechada devido à quantidade de chuva.) Nesse período o clima é mais ameno, ideal para as travessias que passam por rios e cachoeiras. Por fazer parte de uma cadeia de montanhas, existem vários microclimas dentro dos cânions que provocam alterações no clima, a qualquer momento. Existe a possibilidade da trilha ser fechada

Dicas
picto-bussula

  • São necessários 5 dias ara aproveitar os atrativos da região, no mínimo.
  • É comum o dia amanhecer nublado, mas ao chegar no cânion ter boa visibilidade.
  • Roupas impermeáveis, capa de chuva e agasalhos são indispensáveis nas épocas de chuva.
  • É proibido acampar dentro dos limites dos parques.
  • Não é obrigatório ir com guia para Itaimbezinho e Fortaleza. No entanto, para entender melhor a região, aconselho contratar um condutor. Caso queira explorar o interior dos cânions é obrigatório acompanhamento de guia.
  • Fiz todos os passeios com a empresa Guia Aparados da Serra, que foi recomendando pelos leitores do blog. A agência existe desde 2010 e a  equipe é formada por nativos da região que conhecem cada segredo dos cânions. Eles são super profissionais. Recomendo!

cambara-sul

Dica de hospedagem: Cambará Eco Hotel

Post anterior

Vídeo revela paisagens da Patagônia e capta momentos únicos

Próximo post

Templo Budista Khadro Ling, um pedaço do Tibete na Serra Gaúcha

8 Comentários

  1. JAIRES
    20/01/2017 at 12:41 — Responder

    Adorei, conhece pousadas legais?

  2. Cristiano
    05/01/2016 at 6:29 — Responder

    Bom dia Cris! Primeira vez que vejo seu site e achei bem interessante! Viajei pouco nos últimos anos e sinto muita falta de conhecer lugares novos, mas esse ano estou programando conhecer alguns lugares!

    Poderia dizer qual câmera você usa?

    Obrigado!

    • 24/02/2016 at 11:26 — Responder

      Olá Cristiano, agora estou com uma Canon 60D. Na época desse post usei uma Nikon que não lembro mais qual era o modelo… :/

  3. regina
    02/11/2015 at 1:12 — Responder

    Em que epoca que vc foi nessa viagem ate Cambara do Sul?

  4. 30/03/2015 at 10:06 — Responder

    Muito bom ler isso, Cris. Acompanho suas viagens tem um tempo e com certeza elas me inspiraram a começar a minha. Estou agora no Rio Grande do Sul e vou passar um tempo por aqui pra conhecer esse Estado lindo, que é berço da minha mãe. Abraços!

Responder para

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *