0
COMPARTILHAMENTO
Pinterest Google+

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, tombado pela UNESCO como Patrimônio Mundial Natural da Humanidade, foi criado em 1961. São 240 mil hectares de Cerrado e é considerado um dos santuários ecológicos desse bioma. A região abrange sete municípios: Campos Belos, Cavalcante, Colinas do Sul, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, São João D’Aliança e Teresina de Goiás.

Prepare-se para conhecer a terra onde a natureza te convida pausar; onde fadas, duendes e naves espaciais se encontram; local de solo antigo, que guarda os segredos da terra; onde os aventureiros podem se esbaldar em paredões para escalar, rios para descer e trilhas para caminhar. Lugar de comunidades que guardam antigas tradições, onde as plantas viram remédios e as águas brotam das pedras.

Cachoeiras, cânios, nascentes, rios de águas cristalinas, paredões, veredas, sertões. Flores endêmicas como a bela caliandra, tucanos e araras compõem o cenário de paisagens incríveis da Chapada dos Veadeiros. Ah! Sem esquecer das cores do céu em cada pôr-do-sol, considerado um dos mais lindos do Brasil.

 

 

 

 

Fauna e flora

O cerrado é a savana mais rica em diversidade do mundo, com alto índice de plantas e animais endêmicos, ou seja, espécies únicas na região. Infelizmente, um bioma constantemente ameaçado de extinção por pastagens e extrativismo de carvão. Esse desmatamento descontrolado causa grande impactos ambientais: assoreamento de rios, destruição do habitat de animais e plantas nativas, entre outros. No cerrado existem mais de 7 mil espécies de plantas, sendo considerado uma das maiores “farmácias” naturais do Brasil, por sua quantidade de propriedades medicinais.

No Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros vivem algumas das espécies ameaçadas como o lobo-guará, tamanduá-bandeira, tatu-canastra, veado campeiro, pato-mergulhão e a onça-pintada.

O pato-mergulhão está no nível mais alto de perigo de extinção. Eles passam maior parte da vida em locais restritos em rios com corredeiras, águas límpidas e peixes em abundância. No mundo, estima-se que existam apenas 230 espécimes.

 

Terra mística

É inegável que a Chapada dos Veadeiros tem uma áurea mística. Os esotéricos acreditam que a região é o “chákra cardíaco do planeta” por sua energia emanada da terra. Um dos fatores que reforçam essa crença é uma imensa placa de cristal de quartzo no subsolo que emite energia e uma luminosidade, que pode ser vista do espaço. Além disso, a formação geológica dos Veadeiros é uma das mais antigas do planeta, com aproximadamente 1,8 bilhões de anos.

E não pára por aí. A Chapada é cortada pelo Meridiano 14, o mesmo que passa por Machu Picchu, no Peru, destino conhecido por seus mistérios. Muitos moradores foram atraídos para o local por acreditarem ser uma região protegida, isenta de acontecimentos apocalípticos.

Referências a discos voadores e extraterrestres também fazem parte da Chapada dos Veadeiros, é comum ver imagens e bonecos espalhados por pousadas e restaurantes. Por esses e muito outros motivos, o local é procurado por pessoas e grupos que acreditam nessa força enigmática.

chapada-veadeiros-yoga

chapada-veadeirosCristais que brotam da terra…

Jardim de Maytrea

Na estrada entre Alto Paraíso e São Jorge não deixe de contemplar o Jardim de Maytrea, lugar considerado sagrado para os místicos. O nome remete a um lugar considerado um paraíso na terra. A beleza do vasto campo é sublime! O que vai encontrar é um cenário composto por vários buritis e veredas, cercados por montanhas que alcançam o horizonte, até perder de vista. Muitos acreditam que ali há um portal para outra dimensão e por isso, param ali para saudar esse local sagrado. Vale uma parada para tirar fotos e meditar no silêncio.

jardim-maytrea-veadeiros
Até em dias nublados é lindo!

Melhor época

Com estações bem definidas, cada época tem sua beleza. A melhor época para visitar a Chapada dos Veadeiros vai depender do que deseja encontrar. O verão é período de chuva e no inverno, prepare-se para o clima seco do cerrado. Alguns lugares como a Cachoeira da Abismo, Encontro das Águas e Vale da Lua mudam completamente.

Diferentes estações, diferentes paisagens. Veja como fica o Encontro das Águas em duas épocas de seca e chuva:

Janeiro com chuva
chapada-veadeiros-encontro-aguas
Julho na seca

Final de abril: O céu começa ficar sem nuvens e as chuvas são menos frequentes. Clima ameno e muito agradável, principalmente para quem não é acostumado com o ar extremamente seco da região. Essa época é ideal para prática de caminhadas.

Maio: Época de floração das flores do cerrado.

Junho – Setembro: O clima é tipicamente seco do inverno, com dias quentes (ensolarados, sem nuvens) e noites frias. A vegetação fica encoberta com a poeira marrom do cerrado, as árvores estão secas — mas não se engane, não estão mortas —, e o céu é um dos mais bonitos de todos. O pôr-do-sol é um espetáculo diário de cores e que durante a noite é tomado por um tapete de estrelas.

Outubro – início de abril: Época de chuvas e maior frequência de trombas d’água — fenômeno natural que ocorre com alta intensidade de chuvas que enche pequenos cursos d’água, causando o aumento repentino no volume de água. Em compensação, nessa época as cachoeiras estão abundantes e a vegetação está bem verde.

ATENÇÃO! 

  • No período de seca qualquer faísca pode se espalhar rapidamente e começar um incêndio. Não faça fogueiras e não jogue bitucas de cigarro no solo.
  • O risco de tromba d’águas é real. Em épocas de chuva tenha atenção redobrada em cachoeiras fechadas por paredões ou rios estreitos. A foto do Encontro das Águas (acima) foi tirada minutos antes da chegada de uma tromba d’água. Por sorte, percebemos a rápida alteração da cor e o aumento do volume da água e corremos a tempo. Se o tempo estiver muito fechado, sugiro evitar ir ida à cachoeiras. Quando a tromba d’água vem, vem arrastando tudo que passa na sua frente.
  • Na época de seca, ao fazer trilhas, use calças compridas para evitar pegar carrapatos e micuins, (dica: use óleo essencial de cravo-folha, um ótimo repelente natural). Já falei dele nesse post sobre como usar a aromaterpia nas viagens.

Como chegar

DE ÔNIBUS*

Localizada a 220 km ao norte de Brasília, Alto Paraíso é a cidade ponto de apoio para quem quer conhecer a Chapada dos Veadeiros. Os outros locais mais visitados, por suas belezas naturais e culturais, são São Jorge e Cavalcante.

  • Distância de Alto Paraíso a São Jorge é de 36 km: estrada nova, asfaltada e com ciclovia.

*Verifique os horários com as empresas, pode haver alterações.

Brasília > Alto Paraíso

Saída: Rodoviária Interestadual

Real Expresso: diariamente às 10h/21h
Tel.: (61) 2106-7100

Santo Antônio: diariamente às 11h (única linha)
Tel.: (61) 3234-3997

Brasília > São Jorge

Saída: Rodoviária do Plano Piloto

Santo Antônio: diariamente às 11h (única linha)
Tel.: (61) 3234-3997

Brasília > Cavalcante 

Saída: Rodoviária Interestadual

Santo Antônio: diariamente às 7h15h (única linha)
Tel.: (61) 3234-8774

Brasília > Teresina (22km de Cavalcante) 

Saída: Rodoviária Interestadual 

Real Expresso: diariamente às 10h/21h
Tel.: (61) 2106-7100

Alto Paraíso > São Jorge 

Saída: Rodoviário de Alto Paraíso

Santo Antônio: diariamente às 17h (única linha)

Alto Paraíso > Cavalcante 

Saída: Rodoviário de Alto Paraíso
Real Expresso: diariamente às 00h

chapada-veadeiros-carona

DE CARONA

Ônibus, principalmente para São Jorge e Cavalcante, saem com muita pouca frequência em horários inusitados. O costume de muitos viajantes é pegar carona até esses locais. Sempre que viajo para Chapada nem conto com os ônibus e só vou de carona. A página Conexão Chapada – BSB é uma ótima ferramenta para tentar carona de Brasília para a região dos Veadeiros. Ou se preferir, pode pegar um ônibus até Alto Paraíso e de lá seguir com carona. O melhor ponto para pegar carona de Alto Paraíso até São Jorge é na parada de ônibus, perto da Nave, sentido Colinas do Sul, São Jorge.

Voltando para Brasília também é possível pegar carona na estrada, sempre aparece alguém vindo de São Jorge ou Alto Paraíso.

Mais sobre a Chapada dos Veadeiros:

Post anterior

Conheça a Lagoa Misteriosa da região de Bonito

Próximo post

Mirante da Janela: a vista mais espetacular da Chapada dos Veadeiros

4 Comentários

  1. carulua
    30/08/2017 at 16:49 — Responder

    Cris, a estádia na chapada dos veadeiros é muito cara? quanto de dinheiro você acha que uma pessoa precisa levar para se manter uns 15 dias lá?

    • 17/09/2017 at 11:24 — Responder

      Olá Caroline, depende onde você vai ficar hospedada. A média de camping é de R$25 a R$30.

  2. Julio
    11/08/2014 at 23:02 — Responder

    Que fotos!
    Borboleta e móbile de abelhas.
    Parabéns!

Responder para

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *