0
COMPARTILHAMENTO
Pinterest Google+

Que tal usar as férias para aprender a surfar? Não faltam motivos para você se arriscar em cima de uma prancha neste verão. Esta, inclusive, é a melhor temporada para quem está começando. As ondas são menores e a oferta de professores é bem maior.

Para começar, aprender algo novo é sempre bom e é uma forma de você conhecer mais da cultura, natureza e pessoas do local que está visitando. Além de você se divertir, o surfe dá um ótimo preparo físico, deixa o corpo definido e queima em média 500 calorias por hora. Ajuda no equilíbrio, condicionamento cardiovascular e coordenação motora.

Não precisa ter experiência anterior e nem ser atleta. Moro em Brasília, bem longe do mar, e estou longe da academia há um bom tempo. Mesmo assim consegui me divertir e pegar algumas ondinhas na última viagem que fiz. Foi-se o tempo em que o surf era esporte basicamente de homem. A mulherada tem sido cada vez mais atuante e tem até grupo só delas.

aprender-surfar-viajando

Minha dica é sempre começar com professor, principalmente se você está começando do zero. Um bom professor vai te ajudar a aprender as técnicas e te dar segurança para conseguir passar a rebentação e subir na prancha mais rápido. Eles também já têm todo material, prancha, leash, roupas adequadas. Você só leva a vontade e o filtro solar!

Nas duas ocasiões em que peguei aulas, a didática foi basicamente a mesma. Primeiro a gente teve um aquecimento e uma aula teórica. Na areia mesmo a gente aprendeu a técnica para subir na prancha. Depois foi a hora de ir pra água! Se você tem medo de cair, de se ralar, de levar caldo, não se preocupe. Isso tudo vai acontecer!

Mas você vai superar isso. Na maioria absoluta dos casos, o aluno já na primeira aula aprende a ficar em pé na prancha. Em três aulinhas já dá pra arriscar pegar onda sem o empurrão do professor e com o tempo você vai entendendo como tudo funciona, sentindo a onda e se arriscando mais. É uma sensação maravilhosa quando você vai ganhando confiança lá em cima e passa a curtir o movimento.

Uma dica importante é pesquisar bons professores. Aqui no Brasil várias cidades têm escolinhas reconhecidas. Se você se interessou, dá uma olhada nesta lista, e já garanta para as próximas férias diversão e de quebra um belo bronzeado!

aprender-surfar-viajando-2

Maresias – São Paulo

O litoral norte de São Paulo surpreende! E Maresias, a terra do campeão do surf, Gabriel Medina, tem belas praias, com muita gente bonita, paquera e um agito atrás do outro. Lá existem várias escolinhas de surf. Dá pra combinar aula pela manhã, com passeios para explorar a região no restante do dia, e uma balada à noite.

Lá, eu peguei aula com o Alex Leco, ele é personal e instrutor do Instituto Medina. Contato: (12) 99700-3343

Guaibim – Bahia

Se você quer fugir das festas e conciliar aula de surf com tempo para descansar, Guaibim é o seu destino! Com praias desertas até em alta temporada, esta cidadezinha que fica pertinho de Salvador vai ser seu destino ideal. É um vilarejo pequeno, no município de Valença, mas com boas opções de restaurantes. Lá dificilmente você vai encontrar festas ou barulho depois das 22h. O lance é curtir a natureza mesmo. A boa notícia para os festeiros é que ela fica a 15 minutos de lancha de Morro de São Paulo, bem mais badalado. Guaibim foi meu refúgio no fim de ano.

A escolinha Guimarães é a mais tradicional de lá. Peguei aulas com o Eric, que surfa desde os doze anos em Guaibim. Contato: (75) 8870-8790

Barra – Rio de Janeiro

Apesar das praias estarem sempre lotadas, os surfistas têm seu espaço e há ondas para todos os níveis. Para conciliar festas, aventuras, atrações culturais e naturais não tem cidade melhor do que o Rio de Janeiro. A cidade tem várias opções de hospedagem e há sempre uma boa promoção de passagem aérea de vários locais do Brasil. Boa opção pra quem quer praticidade e economia.

O Fabrício Marques, meu amigo que pratica mil e um esportes, já testou a escolinha Cyclone que fica na Barra. O professor dele foi o Márcio Freitas. Contato: (21) 7830-9709

Itacaré – Bahia

Este pedacinho da Bahia atrai gente do mundo inteiro pelas suas belezas naturais. Se o que você quer é não pensar em nada e já sair da sua cidade com pacote completo, esta é a sua melhor opção. As escolinhas de Itacaré geralmente oferecem pacotes fechados com hospedagem, transfer, aulas e até umas festinhas entre um drop e outro.

A indicação da Polyana Resende, amiga super viajada que sempre está em busca de aventuras, é a Easy Drop. Tem até aula de ioga e massagem por lá. Contato: (73) 3251-3065

Florianópolis – Santa Catarina

Floripa é um dos destinos mais visitados de Santa Catarina e tem gente o ano inteiro. Apesar da água gelada, atrai muitos surfistas. O que não falta na cidade são grupos de esportistas que estão abertos para receber iniciantes. Esta cidade é ótima para quem já tem prancha, mas está começando. Grupo só de mulheres são bem fortes por lá.

A Babi Aquino, minha amiga de escalada e surfista por natureza, é de lá e me contou sobre vários deles. O mais tradicional é o Floripa Surf Girls, que tem como missão construir a autoconfiança nas mulheres por meio do esporte. Elas dão dicas para quem está começando. Contato: (48) 9136-7447

Post anterior

Precisamos conversar sobre "dicas para mulheres que viajam sozinhas"

Próximo post

5 fast-foods com opções saudáveis em Nova York

No Comment

Responder para

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *