0
COMPARTILHAMENTO
Pinterest Google+

Se você gosta de cultura popular e literatura de cordel não pode deixar de ir na ABLC – Academia Brasileira de Literatura de Cordel, em Santa Tereza no Rio de Janeiro, este é simplesmente o maior acervo de cordel da América Latina.

Fiquei sabendo dessa preciosidade por indicação de um amigo para conhecer no Rio, fora dos circuitos clássicos que rendeu até um post com 10 dicas para conhecer Rio de Janeiro além dos pontos turísticos.

Dos lugares que conheci um dos mais encantadores foi, sem dúvida, a Academia Brasileira de Literatura de Cordel. Fui recebida pelo cordelista e presidente da Academia Gonçalo Ferreira da Silva, um senhor muito gentil e receptivo que fez questão de me contar um pouco de suas histórias. A Academia guarda o maior acervo de cordel da América Latina e se você gosta do contato com a cultura popular, não deixe de conhecer esse local.

acervo de cordel
Acervo de Cordel no Rio de Janeiro

Subindo pela ladeira de Santa Tereza, uma lojinha escondida, com livros do chão ao teto, revela no seu interior cores e xilografia que contam histórias do mundo. A pequena loja é praticamente uma caixa de pandora que se revela a cada olhar. Fundada em 7 de setembro de 1988 é um deleite para quem reconhece na cultura popular o valor de nossa tradição.

goncalo-cordel-2

LITERATURA DE CORDEL

O cordel é derivado da tradição oral de poesias populares e pode ser lido como poesia ou cantado, que teve como origem Portugal. Os famosos trovadores das histórias mediáveis, nada mais eram do que poetas cordelistas.

No Brasil o cordel narra, principalmente, o cotidiano do povo nordestino com uma linguagem regionalizada e informal. Esse tipo de literatura já teve sua época de apogeu e com a modernização dos livros e a chegada dos eBooks, houve quem achasse que o cordel morreria. Felizmente, a tradição foi mantida graças ao esforço dos mestres cordelistas que trabalham diariamente para manter vivo esse legado. O mérito também é dos fiéis leitores de cordel que valorizam a literatura tradicional e seguem comprando cordéis, muitos para coleção.

academia brasileira de literatura de cordel 1

Embora também seja comercializado como livro por várias editoras, o cordel tradicional é aquele livrinho pequeno, geralmente com 8 páginas, com  capa xilografada, escrito em seis estrofes, que são vendidos pendurados em um cordão ou barbante.  Daí a origem do nome cordel.

Os temas dos cordéis são dos mais diversos, mas sempre contam uma realidade local. Do profano ao sagrado, narram histórias populares de cangaceiros, prostitutas, políticos, padres e celebridades da cultura popular.

GONÇALO FERREIRA DA SILVA, FUNDADOR DA ACADEMIA BRASILEIRA DE CORDEL

Muitos que entram na pequena loja não fazem ideia que estão diante de um dos maiores mestres de cordel do Brasil. Gonçalo, além de escrever cordéis, é o presidente da academia e o quando está no Rio é o único vendedor na loja. Enquanto o entrevistava, um grupo de turista entrou e pediu que Gonçalo os indicassem um cordel. Eles olhavam curiosos para parede, enquanto separavam os cordéis que iram comprar. Compraram 8 livretos (que custam em média R$2) e foram embora. Sem saber que haviam comprando todos os cordéis escritos pelo próprio vendedor.  Gonçalo diz que situações como essa são frequentes e com seu jeito brincalhão desabafa:

“Hoje em dia tenho 300 títulos publicados e 30 livros, com uma cobertura de informações no mundo todo. Uma pessoa chega aqui e pergunta assim: Você escreve também? Aí eu digo: Escrevo sim, taí. Aí é que vem saber que eu escrevo. Quer dizer, isso prova o quê? O nosso grau de informação. […] Porque se eu usasse a televisão, rádio, jornal e enceradeira, com um quarto do que eu faço já era reconhecido.”

academia brasileira de literatura de cordel 2

goncalo-cordel

A história da vida do Mestre Gonçalo caminha junto com a história do cordel. Sem dúvida, foi um presente ter a oportunidade de conhecê-lo e ouvir suas estórias.

A ABLC está localizada na cidade do Rio de Janeiro, no bairro de Santa Teresa, à cerca de 500 metros do Largo do Guimarães.

Como chegar no maior acervo de cordel da América Latina?
Rua: Leopoldo Fróes, 37
Contato: +55 21 2232-4801
Site: www.ablc.com.br

Post anterior

Diferença entre Turismo Voluntário e Turismo Solidário

Próximo post

Entenda a diferença entre Turismo Alternativo e Turismo de Massa

2 Comentários

  1. 27/05/2013 at 10:25 — Responder

    Oi, Cris. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

    • 27/05/2013 at 11:15 — Responder

      Oi Natalie, que boa notícia! Fico muito feliz em ter sido selecionada com esse lugar tão especial.

      Grata!!!

Responder para

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *