Cachoeira Santa Bárbara + Candarú + Capivara: tudo o que você precisa saber

27
atualizado em maio de 2022

Com cenários cinematográficos a Chapada dos Veadeiros tem paisagens de tirar o fôlego! A singular beleza da região é uma das formações geológicas mais antigas do planeta, com cânions, vales, veredas, cavernas e cachoeiras deslumbrantes! E por falar em cachoeiras… uma das mais bonitas do Brasil está ali no cerrado: a cachoeira Santa Bárbara.

Ao contrário do que muitos pensam a cachoeira Santa Bárbara não está localizada em Alto Paraíso e sim, no Quilombo Kalunga Engelho II, no município de Cavalcante.

  • De Cavalcante até o povoado são 22km de estrada de terra.

Cavalcante 

Cavalcante está localizado a 320km de Brasília e abriga 70% do território do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. O município abriga mais de 100 cachoeiras catalogadas, a maioria acessível por trilhas, e também destaca-se por conservar e preservar o Patrimônio Cultural Kalunga, povos originários quilombolas.

Um dos atrativos mais visitados na região é a Cachoeira Santa Bárbara. Embora essa cachoeira seja uma cobiçadas de toda a Chapada dos Veadeiros, existem muitas outras tão bonitas quanto Santa Bárbara.

Cavalcante é uma cidadezinha do interior do Goiás, mas dispõe de ótima estrutura para pernoite. Tem bancos, posto de saúde, posto de gasolina, ótimos restaurantes e muitas opções de hospedagem. Caso queira vivenciar um contato mais direto com os kalungas, também é possível pernoitar no povoado do Engenho II, que dispõe de hospedagens simples na casa dos nativos e aérea de camping. É uma oportunidade única de vivenciar e conhecer mais de perto a cultura quilombola, povos originários e resistentes no Brasil. Descendentes de escravos, preservam o legado de uma cultura ancestral que pode ser facilmente identificada por suas tradições. Os restaurantes também são todos familiares e a comida é feita no fogão à lenha, com grande parte dos alimentos orgânicos, produzidos na região.

Comunidade do Engenho II

O Engenho II é a comunidade quilombola de mais fácil acesso do Patrimônio Histórico e Cultural Kalunga. Os Kalungas ainda mantêm a tradição da cultura de seus ancestrais, realizando celebrações religiosas que mesclam elementos do catolicismo e cultos africanos. Os principais festejos religiosos acontecem de junho a setembro, são eles: Império de São João (23 a 24/6) e Caçada da Rainha (26/6). Em fevereiro de 2021 o Sítio Histórico Kalunga foi o primeiro a ser reconhecido como TICCA (Territórios e Áreas Conservadas por Comunidades Indígenas e Locais).

Quanto é o ingresso?

Com o intuito de preservar os atrativos naturais, é obrigatório o acompanhamento de um guia kalunga para fazer as visitações nas cachoeiras da região do Engenho II.

As vendas são feitas apenas pelo site: quilombokalunga.ecobooking.com.br, com os seguintes preços:

  • Cachoeira Santa Bárbara = R$ 55,00
  • Cachoeira Candarú = R$ 43,00
  • Cachoeira Capivara = R$ 43,00
  • Santa Bárbara + Candarú + Capivara = R$ 132,00
  • Santa Bárbara + Candarú = R$ 88,00
  • Santa Bárbara + Capivara = R$ 88,00
  • Capivara + Candarú = R$ 71,00

Esses valores NÃO INCLUEM O VALOR DO GUIA e transporte local. O transporte até as cachoeiras é opcional e os valores são os seguintes:

  • Santa Bárbara IDA e VOLTA = R$ 20 por pessoa
  • Candarú IDA e VOLTA = R$ 30 por pessoa

Esses valores são cobrados em espécie e repassado diretamente o transporte.

É obrigatório guia?

Sim, e deve ser apenas guias kalungas. O(a) guia não pode ser de outro lugar, como Cavalcante ou Alto Paraíso. O valor da diária do guia é de R$ 200 e poderá ser dividido até 6 visitantes. O preço será calculado no momento da emissão do voucher de acordo com a quantidade de pessoas no grupo. O valor do guia é de R$ 200 por voucher. 

Você pode escolher o guia kalunga para te guiar e o mesmo poderá auxiliar na compra dos ingressos. Fui com o Daniel, que é kalunga e é um excelente fotografo! Se quiser garantir boas fotos e vídeos, é ele: @danielmaia.guiadachapada

Afinal, quanto vou gastar?

  1. Santa Bárbara + Capivara, vai gastar R$ 88,00 do ingresso + R$ 200,00 do guia + R$ 20 de transporte. O total de pagamento será R$ 308,00.
  2. Santa Bárbara + Candarú, vai gastar R$ 71,00 do ingresso + R$ 200,00 do guia + R$ 30 de transporte. O total de pagamento será R$ 301,00.
  3.  Santa Bárbara + Candarú + Capivara, vai gastar R$ 132,00 do ingresso + R$ 200,00 do guia + R$ 50 de transporte. O total de pagamento será R$ 382,00.

Se chegar sem o voucher, posso comprar na hora?

Não. A entrada é permitida apenas com o voucher de ingresso, vendido pelo site.

Como é a trilha até a Cachoeira Santa Bárbara?

O trajeto do transporte do CAT até o início da trilha é de 4,5km.  Após o desembarque, são cerca de 3,5 km de trilha leve, mas bem descampada. Indico levar um chapéu.

trilha-santa-barbara

Cachoeira Santa Bárbara

Antes de chegar na cachoeira principal, a primeira parada é na pequena queda chamada de Cachoeira Santa Barbarinha. Esse é um poço mais para contemplação (e para dar um gostinho do que virá!), pois é muito pequeno e se houver muitas pessoas nadando ali, pode ocorrer o assoreamento de matéria orgânica. Nos finais de semana e feriados é proibido entrar nesse poço.

O belíssimo azul esverdeado das águas de Santa Bárbara fizeram desse lugar um dos mais famosos da Chapada dos Veadeiros. Na realidade, popularizou tanto, que muitas pessoas visitam Cavalcante apenas para conhecer a cachoeira e voltar para Alto Paraíso ou São Jorge. O que é uma pena, visto que a região têm muitas outras cachoeiras (e para mim, até mais bonitas) para serem visitadas. Além disso, Cavalcante tem uma excelente estrutura para receber os visitantes por mais dias. Já fica a dica, de ir com calma em Cavalcante e pernoitar por lá.

Por motivos de preservação, o  tempo máximo de visitação por grupo é de 1 hora e o número máximo de 300 pessoas por dia. Sendo assim, se pretende visitar a Cachoeira de Santa Bárbara no final de semana ou feriados, sugiro comprar o ingresso com antecedência para garantir que consiga visitá-la.

Santa Barbarinha

Melhor época para conhecer Cachoeira de Santa Bárbara

Apesar de ser famosa por sua tonalidade de cores: azul celeste ao verde esmeralda, as cores variam dependendo da época do ano. O sol bate na cachoeira entre às 9h e 14h, dependendo da estação. A melhor época para vê-la com cores fortes azulada é na seca, de maio a setembro.

  •  A transparência da água é devido a grande quantidade de calcário no fundo do poço.

Onde comer no Engenho II?

Um das melhores comidas da Chapada dos Veadeiros! Os restaurantes são dos próprios nativos da comunidade. Antes de sair para a trilha o(a) guia já deixará reservado o almoço, caso queira. Dessa forma, os restaurantes já se organizam com a quantidade de pessoas e você chega da trilha com a comida fresca no fogão à lenha.  O valor é R$50 à vontade, crianças até 12 anos pagam metade.

  • Não deixe de provar os sucos de fruta do cerrado
Esse é o Recanto da Mata, o primeiro restaurante ao final da trilha do Candarú

Cachoeira Candarú

O acesso até a Cachoeira Candarú já foi bem mais difícil, o que fazia muitos desistirem de conhecer o local. No entanto, agora a trilha foi reduzida para apenas 500 metros e o transporte do pau-de-arara leva até o início da trilha.

De uma beleza única, a Cachoeira do Candarú é formada por uma queda d’água com cerca de 70 metros de altura, que cai por um paredão. O poço tem tonalidade verde esmeralda e é ótimo para nadar. Além disso, tem uma hidromassagem natural que se forma aos pés da cachoeira.

Cachoeira Capivara

Apesar de ter uma trilha curta, de apenas 800 metros, Capivara exige um pouco mais de equilíbrio na descida, que é um pouco mais íngreme e com pedras. Antes de chegar na cachoeira principal, é possível parar para avistar um mirante com vista para o Vale.

 A Cachoeira Capivara é formada por dois rios, de um lado a cachoeira do Rio Capivara, e do outro, do Tiririca, que se encontram no mesmo poço e seguem por um cânion. Na época de seca as águas ficam bem cristalina e para mim, é uma das cachoeiras mais bonita da região.

cachoeira-capivara-chapada

Poço do Peixe

Produtos kalunga

Ao lado do CAT encontra-se a loja comunitária quilombola, com produtos produzidos artesanalmente por moradores da comunidade. Ao comprar esses produtos, você ajuda fomentar a economia local e contribui de forma sustentável para a geração de renda de muitas famílias. Para algumas, a venda desses produtos é a principal fonte de renda da família.

Os quilombolas kalungas também mantém áreas de cultivo de mandioca, milho, arroz, jiló, abóbora, fumo, feijão, algodão, baunilha do cerrado, entre outros. Ou seja, os produtos são orgânicos e naturais do Cerrado. Para o plantio, usam métodos tradicionais e ancestrais da agricultura e extrativismo. O povo kalunga planta no tempo da natureza e não usam agrotóxicos.

“As comunidades plantam em pequenas roças, geralmente menores que um hectare, onde praticam a agricultura de subsistência, com a venda do excedente. Ainda há o extrativismo de frutos do cerrado, criação de bovinos, suínos e aves, bem como o cultivo de frutas.

Os principais produtos agrícolas são a mandioca (para produção de farinha e paçoca principalmente), arroz (autoconsumo) e gergelim (diversos usos). Também obtém diversos produtos por meio do extrativismo (vegetal e animal). Principais produtos do extrativismo: baru (descascado e torrado), buriti (lascas desidratadas) e jatobá (farinha).” Associação Quilombo Kalunga (AQK)

Não deixe de comprar a Paçoca kalunga, ótimo lanche para a trilha. Ela é feita com mandioca e carne, é super nutritivo e alimenta bem. Sempre que passo pelo Engenho, já garanto a paçoca para as trilhas seguintes.

Ainda ficou com alguma dúvida sobre a Cachoeira de Santa Bárbara, Candarú ou Capivara? Deixe nos comentários!

Brasiliense, turismóloga, blogueira, mulher medicina, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Sol e lua em sagitário, adora banana, cachoeiras, rios e mar. Não viaja sem seus óleos essenciais, não recusa um convite para dançar e acredita que o abraço cura.

27 COMENTÁRIOS

  1. Oii,

    Saberia me informar como consigo o cupon de desconto? Vou ficar em Cavalcante e vou em um grupo de 5 pessoas. Mas no site na hora da compra não está informando um desconto devido ao número de pessoas.

    Você indica algum condutor? Não sei qual escolher.

    Obrigada!!

    • Oi Thamires, você precisa ver com a pousada que ficará hospedada em Cavalcante. Todos os condutores são ótimos!

  2. Oi Cris, muito obrigada pelas dicas, estou tentando ir pra lá amanhã, já até falei com a Bel. Espero que dê certo. Parabéns ajudou muito. S2

  3. Poxa, que pena. Deixei já duas vezes um comentário com algumas dúvidas e ele só nao foi respondido como também foi deletado. Que pena. Mas belíssimo site. Seguirei acompanhando mesmo assim, Cris! Sucesso!

    • Olá Marília! Nenhum comentário foi deletado, eles estavam na moderação. Acontece é que eu divido a minha vida entre viajar e administrar sozinha o blog e todas as minhas mídias. Estou viajando 4 meses pela Patagônia Argentina e Chile, por isso estou demorando um pouco mais para responder, pois grande parte do meu tempo não tenho conexão. Se precisar de alguma resposta mais rápida pode falar comigo pelo insta -> @raizesdomundo. ❤

  4. Cris
    Amei as dicas de seu site. Deu ainda mais vontade de conhecer a tegiao. Se puder me dar uma luz no meu cronograma… pois teremos pouco tempo e queremos aproveitar da melhor maneira. Chegarei em uma sexta-feira por volta das 18h e irei embora na segunda, por volta das 14h (vôo 18h45). Para não perder o dia da chegada, pensei em visitar as águas termais.

    Nos dois dias completos, pensei em Santa Bárbara e Capivara , e o parque nacional. No último dia, já partindo, o vale da lua. E se der tempo, aceito dicas rss

    Dentro disso, qual seria o melhor cronograma de hospedagem? Aconselha algo diferente?

    Pensei em chegar, ir nas águas termais de noite e já ficar em São José. No dia seguinte, faço parque nacional da chapada. No final do dia, sigo para engenho e durmo lá para no dia seguinte ir para Santa Bárbara. De lá, volto para dormir em São Jorge para no dia ssguinte conhecer o vale da lua e seguir estrada para Brasília. Entre vale da lua e mirante da janela para o dia da partida, qual considera mãos bacana e viável pelo tempo?

    O que acha ?

    Ah! Estarei de carro. Troco todas as opções de estada e fico só em alto paraiso?
    E última dúvida: você trocaria o parque nacional pela catarata dos couros ?

    • Olá Marília! Que pena não ter conseguido responder suas dúvidas no tempo, estava viajando e fiquei muito tempo off. Espero que sua viagem tenha sido linda, a Chapada dos Veadeiros é um lugar incrível!

      Ps.: Não trocaria o parque por Couros, tentaria ir nos dois. hehe

  5. Cris, tudo bem? Parabéns, lindo passeio e lógico, seu blog.
    Somos em 03 viajantes de moto, e nossas motos são big-trails (Vstrom650, Triunph1200 e NC700), e consequentemente não preparadas para alguns terrenos devido ao peso. Você consegue nos dar algum parecer sobre esse passeio, até onde conseguiremos chegar de moto? Se é viável ou não ir de moto?
    Grato
    Rubens

    • Olá Rubens,
      eu não conheço nada de moto para te auxiliar nesse sentido. Mas se te ajuda, quando fui para o Engenho II pela primeira vez fui em uma Lander e foi de boa. A estrada é de terra e em épocas de chuva fica bem ruim, seria legal você dar uma olhada com alguém que entenda melhor. Boa sorte!♥

    • Olá Rubens, lá as big não se darão bem, vi muita cross por lá e as 125, rsrs. Mas dá para conhecer outros locais com elas, por exemplo a Catarata dos Couros, estrada de terra em melhores condições.

  6. Adorei seu post estou pensando em ir agora em janeiro será que terei sorte de encontrar a cachoeira Santa Bárbara como nas suas fotos, pois alguns amigos disseram que agora não é uma boa época pra ir visitar lá

    • Olá Bruna, não sei te falar como vai encontrar a cachoeira e como falei no post os melhores meses são entre maio e setembro, na época de seca. No entanto você pode se surpreender e encontrar a cachoeira como nós encontramos (e ainda estava chovendo!)

  7. Olá,voce disse que de Cavalcante a comunidade é 22km de estrada de chão,sabe me dizer como é essa estrada?vou de veículo próprio mas estou com medo de ser uma estrada muito ruim e estragar meu carro…bjs

    • Oi Bruna, não sei te falar como está a condição da estrada porque estrada de terra é muito vulnerável às mudanças climáticas. De modo geral não é uma estrada ruim, mas já fui em época de chuva que alguns carros não conseguiram chegar até lá.

  8. Olá, tudo bem.
    Vou me hospedar em Alto Paraíso e gostaria de saber se é fácil o acesso para Cavalcante sem carro. Há ônibus por lá?

    Obrigada

    • Olá Carol, sem carro é um pouco mais complicado. Não tem ônibus direto para Cavalcante e o horário é super específico, o ideal é pegar uma carona ou ir de carro.

      Beijos e boa viagem!

  9. Cris, quero ir para a chapada final do mês mas estou muito indeciso. A minha grana ta bem curta, vou sozinho e estou preocupado porque vi que para visitar lugares como a cachoeira de santa barbara precisa de carro. Você tem alguma dica de hostel, camping e meio de transporte para aproveitar a chapada com pouca grana?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.