Entenda o que é o Turismo Solidário

2

Na matéria de hoje vamos falar um pouco sobre um assunto bem interessante, o turismo solidário. Foi-se o tempo que fazer turismo era apenas uma estadia no lugar dos sonhos ou conhecer um novo ponto geográfico. Para várias pessoas do mundo, viajar significa muito mais que tirar fotos dos principais atrativos e postar em redes socais. A viagem é ponto de partida para adquirir conhecimento, trocar percepções e partilhar habilidades.

Turismo solidário

Esses novos turistas buscam um modelo mais justo e igualitário de turismo que coloque a população local no centro do planejamento, da implementação e do monitoramento das atividades turísticas.”

O Turismo Solidário não é considerado um segmento turístico. Porém, pode ser integrado em dois tipos de segmentação: Turismo Cultural e Turismo de Estudos e Intercâmbio. No Turismo Cultural, a segmentação é característica também como Turismo Étnico, onde “as atividades turísticas são decorrentes da vivência de experiências autênticas em contatos diretos com os modos de vida e a identidade de grupos étnicos. Busca-se estabelecer um contato próximo com a comunidade anfitriã, participar de suas atividades tradicionais, observar e aprender sobre suas expressões culturais, estilos de vida e costumes singulares.”.

O Turismo Solidário favorece o crescimento e fortalecimento econômico de um lugar, como uma alternativa para os períodos de baixa temporada. Também gera fluxo “turístico” em lugares que não dispõem de atrativos significativos. A partir deste pressuposto, começa a nascer um novo tipo de turismo, que respeita o cotidiano e costume das pessoas que vivem no local.

Os residentes locais, percebendo o interesse do visitante pela comunidade, abrem-se de maneira direta e buscam somar de alguma forma. É muito comum que os moradores queiram receber os viajantes em suas casas para repassar seus costumes, ensinar seus ritos, servir suas comidas, entre outras trocas que proporcionam aprendizado e qualidade de vida, para ambos.

Turismo solidário

Esse tipo de intervenção, também é uma alternativa para o desenvolvimento sustentável, pois os nativos aprendem a respeitar e valorizar a sua própria história e resgatam suas raízes culturais. Passam a se orgulhar de sua ancestralidade e compartilham seus saberes e histórias que atravessaram gerações.

A partir do momento que é inserido esse tipo de contato em suas viagens, conhecer um novo local, será muito mais verdadeiro. E você passará a REconhecer o lugar por suas características.

E quais são as vantagens?

  • É oferecido durante todo ano;
    .
  • Amplia a possibilidade de crescimento econômico da região;
    .

    • Produtos locais são vendidos diretamente com o artesão a preço justo;
      .
    • Comercialização de produtos locais.
      .
  • Aprimora a consciência de conservação e valorização ambiental e cultural;
    .
  • Promove o fortalecimento das raízes culturais;
    .
  • Contribui em várias áreas:
    • Educação
    • Saúde
    • Lazer
    • Cultura
    • Etc

Educação: o viajante poderá doar livros para uma escola local e bibliotecas, dar aulas, palestras, oficinas de alfabetização, contar histórias, ajudar na construção e manutenção de novas escolas e creches.

Saúde: poderá ministrar palestras e oficinas como prevenção de drogas, educação sexual, higiene bucal, doação de camisinhas para postos de saúde de comunidades precárias, ajudar na construção e manutenção de postos. Se for profissional da área, pode atuar com atendimentos à comunidade.

Cultura e lazer: promover incentivo ao esporte, artes e dança. Realizar doação de materiais esportivos, malabares, brinquedos lúdicos, participar da organização de campeonatos, aulas de música, dança e circo. Ministrar oficinas de confecção de brinquedos, entre outros.

Outros: ministrar palestras e oficinas sobre compostagem, biocostrução, banheiros secos, permacultura, agricultura urbana, reciclagem.

O Turismo Solidário possibilita a troca com o outro. Não é apenas uma doação de uma parte, a comunhão se faz necessária para que o trabalho seja desenvolvido. O destino, a comunidade e as pessoas precisam se envolver no projeto para que juntos possam construir algo.

No Brasil, são mais de 150 instituições públicas e privadas que trabalham com esse tipo de turismo. As possibilidades são infinitas, basta dar o primeiro passo para começar. Experimente!

.

Mais postagens do tema:

Brasiliense, turismóloga, blogueira, mulher medicina, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Sol e lua em sagitário, adora banana, cachoeiras, rios e mar. Não viaja sem seus óleos essenciais, não recusa um convite para dançar e acredita que o abraço cura.

2 COMENTÁRIOS

  1. Tenho um sítio solidário em Caldas, no Vale da Pedra Branca, Sul de Minas. Há 19 anos a Rosa dos Ventos acolhe pessoas de vários cantos do Brasil e do Mundo. Algumas pessoas moram lá de alguns meses a alguns anos.
    Quero ampliar a vocação da Rosa dos Ventos e levar a idéia de turismo solidário a outras pessoas da região.
    No site vocês encontrarão vários dados sobre a ROSA DOS VENTOS.
    Durante a Copa do Mundo estamos programando lá uma COPA DA PAZ, entre 12 de junho e 31 de julho.

    • Olá Carlos, que bacana a sua proposta! Só não consegui entrar no site… =( Com frequencia passo por Minas Gerais para visitar meus pais que moram em Sete Lagoas, quem sabe não combinamos uma visita no Sítio Rosa dos Ventos?
      Grande abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.