0
COMPARTILHAMENTO
Pinterest Google+

A maior mina de extração de ouro aberta a visitação do mundo, está localizada a 5km do centro de Mariana. Após 166 anos de exploração, a mina foi desativada em 1985 e desde então, recebe turistas do mundo. A Mina da Passagem é um passeio muito interessante, principalmente por sua importância histórica. O tour dura menos de 40 minutos, mas mesmo com pouco tempo, é um deleite para quem é fascinado por geografia e história.

De acordo com os registros, no século XVIII, praticamente metade do ouro mundial foi extraído em Minas Gerias por mão de obra escrava. Só na Mina da Passagem foram extraídas cerca de 35 toneladas. No inicio da exploração, o mineral era retirado manualmente e as máquinas só chegaram no século XIX. Parte do maquinário continua na Mina da Passagem e nos ajuda a entender um pouco da história do Ciclo do Ouro.

A Mina da passagem é uma das mais antigas do Brasil

A descida até a mina é por um “trolley” original — um carrinho puxado por um cabo de aço, ligado a uma antiga máquina movida a ar comprimido de 120 anos.

Dentro da mina ainda existem túneis que ligam Mariana a Ouro Preto, que origina o nome “passagem”.

mina da passagem

A extensão total da mina é de 1.340 metros com 409 metros de profundidade. No entanto, apenas 315 metros é acessado por terra. Dos setes níveis da caverna, cinco foram inundados formando um lago subterrâneo de águas azuis cristalinas com 2 km de extensão.

A mina é um grande labirinto com galerias de paredes douradas. Mas não se engane, o dourado da mina são as piritas, conhecidas também como ouro de tolo, por sua semelhança com o ouro mas sem nenhum valor comercial.

passagem-da-mina-minas-gerais-2

O lago subterrâneo azul cristalino é resultado de perfurações que chegaram até o lençol freático. Não existe nenhum tipo de vida na água devido a quantidade de metais pesados, principalmente o arsênio, um semimetal utilizado na fabricação de arsênico. É proibido nadar no local por questões de segurança, pois o guia não pode dividir a atenção de cuidado do grupo. Eu, Gui e Altier entramos na água com autorização. Nesse caso, o risco de contaminação por arsênio é baixo e só ameaça a saúde se houver uma exposição constante. Mas mesmo assim, confesso que fiquei um pouco tensa no inicio, mas depois do primeiro mergulho relaxei e aproveitei as águas transparentes do lago azul.

10440825_10203259487542168_3763947330609464009_n

passagem-da-mina-minas-gerais-4

passagem-da-mina-minas-gerais

passagem da mina

Mergulho nas galerias submersas  

Na década de 50, a Mina da Passagem ficou inativa e as galerias mais profundas foram inundadas. Hoje, apenas mergulhadores com experiência comprovada “Intro to Cave Diver” podem acessar essa parte da mina. A visibilidade do mergulho é de 100% até 50 metros, um dos fatores que fazem desse lago um dos melhores locais de mergulho em caverna no Brasil. No fundo é possível encontrar antigas peças e maquinários usados na época. As galerias se estendem a uma profundidade de até 240 metros em um trajeto que parece ter sido congelado no tempo. Como dizem, é um mergulho na história.

  • Os mergulhadores devem levar todo o equipamento;
  • A temperatura varia entre 17° a 20°C.
26171037.mariana16
Foto: Tropical Dive Brasil

Horário de funcionamento: Segundas e terças, das 9h às 17h | Quarta a domingo, das 9h às 17h30.

Como chegar de ônibus: Saem ônibus diariamente de Ouro Preto a Mariana (e vice-versa).  Peça ao motorista para parar na estrada próxima da mina, depois é só caminhar alguns metros. 

Confira o vídeo do nosso segundo dia dos Blogueiros da Estrada Real em Ouro Preto e Mariana, com registros na Mina da Passagem:
Banner-blogueiros-blogueiros-na-ER

*O projeto Blogueiros na Estrada Real foi uma realização do Instituto Estrada Real, com organização do blog Dentro do Mochilão e o apoio da Bancorbrás. Outros seis blogueiros também participaram, são eles: Pé na EstradaViajando com ElesSegredos de ViagemTrilhas e AventurasTerritórios e Viagens Cinematográficas. Para acessar todo conteúdo nas redes sociais, utilize #BlogueirosnaER. 
Post anterior

Sete Lagoas/MG: Travessia da Lua, caminhada noturna sob a luz da lua cheia

Próximo post

Alto Paraíso e suas principais cachoeiras

11 Comentários

  1. Ana Laura
    24/08/2016 at 18:46 — Responder

    gostaria de saber se essa e a mina de ouro mais antiga que existe no Brasil

    • 07/09/2016 at 13:56 — Responder

      Olá Ana Laura, ela é uma das mais antigas, mas não sei se é a mais antiga. :/

  2. rola
    29/07/2015 at 15:25 — Responder

    por que a agua da mina pode ser utilizada para consumo?

  3. Ana
    18/03/2015 at 21:29 — Responder

    Olá Cris, muito legal seu post!
    Gostaria muito de saber como é possível conseguir autorização para entrar na água, é necessário contratar um guia específico ou agendar? Agradeço desde já sua ajuda, melhor informação que encontrei sobre esse passeio.

    • 20/03/2015 at 21:15 — Responder

      Olá Ana, nós fomos autorizados pq estávamos fazendo um trabalho de divulgação, como imprensa, nessa região de Minas Gerais. O mergulho nas galerias é permitido com comprovação de experiência intro to cave diver.
      Grande abraço,

      • Ana
        28/03/2015 at 23:23 — Responder

        Muito obrigada pelas informações, Cris!! 🙂

  4. Ana Carolina
    25/08/2014 at 16:08 — Responder

    Olá Cris,
    Quanto você pagou o tour e o mergulho? Estou querendo fazer uma rota Minas com meu namorado no final do ano, e adorei sua dica, queria muito passar por lá! Obrigada!

    • 27/08/2014 at 16:59 — Responder

      Olá Ana Carolina,
      Não paguei pois a nossa visita foi pelo projeto Blogueiros na Estrada Real, mas o valor é de R$ 35,00 por pessoa. Já o mergulho, você deve procurar um receptivo local credenciado. Parece que a mais conceituada é a Divegold, que oferece o mergulho desde 98. Mas não posso te garantir a qualidade desse serviço pq não experimentei.

      Grande abraço,
      Cris Marques

  5. 04/08/2014 at 11:08 — Responder

    Cris,

    Essas experiências diferentes realmente fizeram a viagem ser mais especial. Nunca havia imaginado mergulhar numa antiga mina.

    Água gelaaaaaaada, mas valeu 🙂

    Beijos

    • 04/08/2014 at 11:45 — Responder

      Gui, com certeza essas experiências fazem toda diferença. Agora fiquei com vontade de fazer o mergulho “de verdade”. Bora voltar pra mergulhar? hehehe

      Beijo grande!

Responder para

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *