Todas as informações sobre o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

0
atualizado em outubro de 2021

Localizado no estado de Goiás o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV) foi declarado como Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO em 2001 e guarda uma das maiores reservas da biosfera do mundo.

PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS

Em 2017 o Parque foi ampliado de 65 mil hectares para 240 mil hectares, uma conquista para a preservação desse bioma que vem sendo devastado, principalmente pelo agronegócio. O PNCV está sob a gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação (ICMBio), porém em 2019 foi concedido à iniciativa privada e a partir de então, passou ser cobrado ingresso para seu acesso.

INGRESSO

Agora é possível comprar o ingresso antecipadamente pelo site: loja.sociparques.com.br.

Parte dos ingressos continuam sendo vendidos na bilheteria. No entanto, recomendo comprar antecipadamente pelo site, principalmente, se for em algum feriado ou final de semana. Geralmente, nessas datas, o ingresso na bilheteria costuma esgotar antes das 9h.

Não é obrigatório contratar guia.

Perfil Visitante Preço
Brasil R$ 18,00
Mercosul R$ 27,00
Estrangeiro R$ 36,00
60 anos ou mais isento
Criança com até 12 anos isento

 

trilhas na Chapada dos VeadeirosFUNCIONAMENTO:

Aberto todos os dias
ENTRADA
segunda a sexta das 8h às 12h
sábados e domingos das 7h às 12h

SAÍDA
todos os dias até às 18h

trilhas na Chapada dos VeadeirosMELHOR ÉPOCA:
O Parque pode ser visitado durante o ano todo. Apesar do cerrado ter as estações bem definidas, podemos dividir o clima em dois momentos: seca e chuva. Normalmente, o período de seca vai de maio a outubro e as chuvas se estendem de novembro a abril. Em épocas de chuva as cachoeiras ficam cheias e alguns lugares são fechados pelo risco de tromba d’água e afogamentos. A Travessia 7 Quedas só pode ser feita apenas na estação de seca, de junho a novembro. Antes de se programar, consulte as atrações que tem interesse, disponibilidade e qual o melhor período de visitação.

COMO CHEGAR NO PARQUE:
O acesso até a portaria está a menos de 1 km da Vila de São Jorge e pode ir caminhando.
O estacionamento do PNCV é privado e o valor cobrado é de R$15 por veículo.

TRILHAS DENTRO DO PARQUE

No PNCV o visitante pode escolher até quatro trilhas. A Trilha das Setes Quedas é a única que pode pernoitar dentro do parque, mas necessita de agendamento prévio. Todas as trilhas tem limite de visitação por dia e durante feriados, datas festivas e férias, recomendo chegar cedo (antes das 10h) ou comprar o ingresso antecipadamente, para conseguir entrar no Parque.

A trilhas são bem demarcadas e setas coloridas indicam o caminho:

TRILHA DOS SALTOS, CARROSSEL E CORREDEIRAS
Visitantes por dia: 450
Nível de dificuldade: pesado
Setas amarelas >>>

Um dos principais cartões postais da Chapada dos Veadeiros é a Cachoeira dos Saltos de 120 metros. A trilha tem aproximadamente 11 km (ida e volta) ou 12 km, se for até o Carrossel. É opcional seguir a trilha até lá. Todo o percurso leva em torno de 4h a 6h, dependendo do condicionamento físico e o tempo que permanecerá em cada atrativo.

Durante o trajeto passará por áreas de antigos garimpos de cristal de quartzo, veredas e pelo Mirante do Salto, onde é possível ver de longe a imponente cachoeira de 120 metros. Uma curiosidade é que esse antigo garimpo de cristal já foi considerado o maior garimpo de quartzo da região e ficou em plena atividade de 1912 a 1961.

A caminhada até o Saltos de 800 metros (também conhecida como Garimpão) tem menos de 1 km. Atente-se para os limites de segurança e não ultrapasse a corda de segurança!

 Como chegar no Carrossel?

Seguindo a trilha, você chegará até a placa de sinalização para as Corredeiras do Rio Preto ou optar em passar pelo mirante do Carrossel, que foi aberto para visitação em setembro de 2018. As Corredeiras formam vários poços e pequenas quedas d’águas que são hidromassagens naturais, uma delícia! Caso queira visitar apenas as Corredeiras existe uma trilha curta com 6 km (ida/volta), de nível moderado.

Mirante do Carrossel
Poço do Carrossel
Corredeiras
Corredeiras

TRILHA DOS CÂNIONS E CACHOEIRA CARIOCAS
Visitantes por dia: 300
Nível de dificuldade: moderado
Setas vermelhas >>>

Com 12 km (ida/volta) de trilha, é um pouco mais íngreme que a Trilha dos Saltos, mas com nível de dificuldade um pouco mais leve, pois tem menos desnível.

A primeira parada é no Cânion I, que apesar de ter uma formação rochosa única, com um fenda enorme por onde passa o rio, ali não é o melhor lugar para nadar. Recomendo ficar um tempo ali, mas logo seguir para as Cariocas. Durante a época de chuva não é permitido nadar até a fenda.

Já nas Cariocas, além de ser a cachoeira mais exuberante, ela tem um poço grande para banho. Nesse local, o Rio Preto se divide em dois e caem no paredão com mais de 20 metros de largura. É lindo! Cerca de 800 metros dali encontra-se o Cânion II, que só pode ser visitado apenas na época de seca, pois é necessário atravessar os paredões que margeiam o rio.

Cariocas: massagem natural

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Cris Marques (@raizesdomundo) em

TRILHA DA SERIEMA
Visitantes por dia: 30
Nível de dificuldade: muito fácil

A trilha da Seriema tem aproximadamente 800 metros (ida/volta) e não passa por nenhuma queda d’água ou cachoeira, apenas pelo Córrego Rodoviarinha, que fica com água apenas em épocas de chuva. A trilha é recomendada para educação ambiental, crianças, idosos e pessoas com dificuldade de mobilidade. Ou, se der tempo, para dar aquela refrescada depois de voltar de uma das trilhas maiores.

TRAVESSIA DAS SETES QUEDAS
Visitantes: 30 pessoas acampadas/por noite
Nível de dificuldade: muito pesado

Essa travessia já é considerada uma das mais bonitas do Brasil e é necessário de 2 a 3 dias para completar todo o percurso de 23,5 km. Ela começa a partir da entrada do Cânion I e as setas laranjas indicam o caminho. É permitido pernoitar apenas em uma aérea demarcada para camping, onde não dispõe de nenhuma estrutura. No primeiro dia são 17 km até o acampamento e por ser um percurso longo, recomenda-se sair bem cedo para fazer o trajeto com tranquilidade e chegar antes do pôr do sol.

Nos primeiros 10 km passará por campos rupestres e veredas, o caminho é bem bonito! Já os 7 km seguintes, é conhecido como Fiandeiras. O final da travessia é na rodovia GO-239, cerca de 12km de São Jorge. Cada visitante é responsável pelo translado de volta, assim como todo o equipamento para acampamento (barraca, comida, utensílios para preparo, lixo…). Não é difícil conseguir caronas na BR, mas também é possível deixar agendado um transfer com um horário previsto de saída da trilha. Também é possível voltar pela portaria de entrada do PNCV, porém  não recomendo! Não há sinalizações de retorno e a portaria fecha às 18h.


A travessia só pode ser realizada apenas no período da seca:
DE JUNHO A NOVEMBRO


  • Não é obrigatório ir com guia, mas esteja ciente dos seus limites pois o parque não conta com serviço de resgate.
  • Para preservar a qualidade da água o ideal é usar sabonetes biodegradáveis.

CONFIRA O POST COMPLETO DA TRAVESSIA 7 QUEDAS: AQUI

Brasiliense, turismóloga, blogueira, mulher medicina, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Sol e lua em sagitário, adora banana, cachoeiras, rios e mar. Não viaja sem seus óleos essenciais, não recusa um convite para dançar e acredita que o abraço cura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.