Projeto mostra a vida dos malucos de BR pelo Brasil

2
1143

Esses dias conheci, através das coisas interessantes que aparecem no facebook, um projeto muito legal chamado Malucos de Estrada – A reconfiguração do movimento hippie no Brasil. Imediatamente abri o vídeo e me apaixonei pela proposta do filme. Não porque tende a mostrar um movimento alternativo ou por falar dos malucos de BR, além disso, o que mais me chamou atenção foi a preocupação em mostrar como realmente são e como vive essa galera.

Malucos de Estrada

Sonhos, arte, poesia, cooperação, liberdade, revolução, desapego, igualdade, lutas… Sentimentos e ações que muitas vezes reprimimos em razão dos padrões sociais preestabelecidos, mas que são vividos intensamente por homens e mulheres que botaram uma mochila nas costas e o pé na estrada. Mas quem são eles? Como vivem? No que acreditam?”

malucos de estrada

Projeto

O projeto começou em 2009 e já nasceu com um propósito político. No segundo semestre deste ano Rafael, diretor do filme, transitava pelo centro de Belo Horizonte quando viu uma “batida” policial na Praça 7, local que tradicionalmente as pessoas se reúnem e expõem seus artesanatos. Nessa operação foi confiscado vários artesanatos e objetos pessoais, como ainda viria acontecer várias vezes no futuro. O ato abusivo e truculento da polícia despertou o desejo de fazer algo por essas pessoas e assim, Rafael realizou o primeiro ensaio fotográfico e exposição chamada “A beleza da margem, à margem da beleza”. Esta exposição aconteceu na própria Praça 7 e foi apreendida pela prefeitura, que aplicou uma multa de 17 mil reais para que fossem devolvidos os quadros.

Além da beleza presente na cultura dessas pessoas, Rafael passou a fotografar também as apreensões feitas pelos fiscais da prefeitura e da PM. Com o tempo a fotografia não era uma mídia suficiente para mostrar todo o universo cultural e a repressão que essas pessoas vêm  sofrendo. A partir disso, o vídeo toma lugar nessa história, dando início ao documentário “Malucos de estrada”.

Preconceito

Claro, que uma proposta tão diferente causa estranhamento, desconfortos e preconceitos. O preconceito primordial é à palavra “hippie” que se mantêm como um modo de designar essa pessoas. Elas mesmas não se consideram hippies, mas há pouco espaço na sociedade para se compreender quem elas realmente são. Por outro lado, existem pessoas muito abertas e que procuram julgar além das aparências, compreender o que há por dentro. Por isso, Rafael não está sozinho. Ele tem conseguido arrecadar financiamento para realizar este filme de forma independente e a cada dia conquista mais adeptos à causa.

Lugares e pessoas

Além dos flagrantes policial e das entrevistas realizadas em Belo Horizonte nos últimos 3 anos, a primeira fase das filmagens na estrada começou de fato em 2011. Rafael e um outra equipe formada por Gustavo e Moacir viajaram por Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e interior de Minas Gerais. Entre 2011 e 2012 também filmaram nos estados do Rio Grande Do Norte, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. Já são mais de 80 artesãos entrevistados. Na segunda fase de filmagem, que acontece neste momento, estão filmando no estado do Ceará e seguem para Piauí, Maranhão, Pará, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.

Experiência pessoal

Todos os idealizados se consideram malucos de estrada com experiências na BR, cada um na sua medida. Rafael viajou por mais de 10 anos, a maioria parte em uma bicicleta. Também trabalhou com artesanato e fazia malabarismo para conseguir levantar uma grana. Em 2009, após o nascimento do seu filho fixou em Olinda. Wesley nasceu em Limeira-SP, começou na BR com 15 anos e viveu nos últimos anos em Belo Horizonte trabalhando principalmente com artesanato em arame e artes circenses. Cyro, começou sua história na estrada há 3 anos quando resolveu seguir pela via da arte, mas não no artesanato como geralmente se entende. Ele viaja vendendo suas fotografias em forma de pequenos imãs.

Contribua para o filme!

Ficou curioso para ver o filme? Então aperta o play para ver o trailer.

Gostou do projeto? O filme será lançado pela internet com livre acesso. De forma colaborativa, qualquer pessoa pode contribuir para realização do filme. Para saber como, acesse o link: http://www.mobilizefb.com/malucosdeestrada

Os malucos de BR também são viajantes que buscam a liberdade do  ir e vir. Existem diferentes formas e caminhos de viajar, cada um tem a opção de escolher qual é a melhor viagem. Eles, escolheram a BR.

Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza
Foto: Arquivo A Beleza da Margem, A Margem da Beleza

Site: belezadamargem.com

Brasiliense, turismóloga, blogueira, mulher medicina, admiradora das brincadeiras populares e dos simbolismos étnicos. Sol e lua em sagitário, adora banana, cachoeiras, rios e mar. Não viaja sem seus óleos essenciais, não recusa um convite para dançar e acredita que o abraço cura.

2 COMENTÁRIOS

  1. Ah só imaginando quanta aventura e desafios serão contados!
    E que bela iniciativa do blog mostrar essa história. Amei.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.