Templo Budista Khadro Ling, um pedaço do Tibete na Serra Gaúcha

7
754

A Serra Gaúcha oferece muitas outras atrações além de Gramado e Canela, como os imponentes cânions dos Parque Nacional de Aparados da Serra e o Parque Nacional da Serra Geral, e o Templo Khadro Ling, o primeiro templo budista tradicional da América Latina.

Templo Budista Khadro Ling

Na cidade de Três Coroas, no topo do Vale do Paranhana, a natureza convive em perfeita harmonia com construções inspiradas em templos budistas milenares do Nepal. Tudo no local remete à tranquilidade e paz. Até mesmo aqueles que não são adeptos do budismo se sentem tocados, de alguma forma.

O Khadro Ling é um centro de práticas e estudos, onde vivem em comunidade lamas e praticantes do Budismo Tibetano. O dia-a-dia também inclui as funções administrativas e cuidados com o espaço físico: cozinha, jardinagem, limpeza, entre outros. Por ser uma organização sem fins lucrativos, todas as instalações são mantidas por meio de doações e os próprios lamas e praticantes administram toda parte turística. Todos são voluntários.

templo budista tres-coroas-6

A construção do espaço foi idealizada e fundada pelo guru tibetano Chagdud Tulku Rinpoche, reconhecido como a encarnação de um mestre de meditação. Era da vontade de Chagdud Rinpoche que todas as pessoas fossem inspiradas positivamente ao pisar naquele lugar, por isso, o local sempre foi aberto para visitas. Ele faleceu em 2002 deixando para seus discípulos todo o legado de ensinamentos e o espaço físico, em constante ampliação, como à vontade de Rinpoche.

O Templo principal, construído em 1997, é uma réplica original dos templos budistas no Nepal. Ele é usado pelos membros da comunidade para estudos e práticas de meditação, duas vezes ao dia. Fora dos horários das atividades, qualquer pessoa pode visitar o interior do templo. Não é permitido entrar calçado e nem fotografar. No altar principal, além de textos sagrados e estátuas de Buda, há centenas de tigelas com água, que simbolicamente representam oferendas de generosidade e disciplina. Todos os dias as tigelas são cheias de água, e no final do dia a água é levada para um tanque especial e usada para molhar as plantas.

templo-budista-tres-coroas

As rodas de oração contêm milhares de mantras e ao girar, suas bênçãos são levadas pelo vento espalhando paz e harmonia para todos os seres, nos quatro cantos do mundo. A mesma filosofia se aplica às bandeiras de oração.

templo-budista-tres-coroas-1

templo-budista-tres-coroas-5

No lado externo, as oito Stupas chamam atenção por sua leveza e beleza. Elas representam um dos monumentos antigos do budismo, e simbolizam a mente iluminada. Sidarta Guatama, considerado o Buda supremo, antes de falecer pediu que seu corpo fosse cremado e as cinzas distribuídas em stupas. Cada uma representa as passagens da vida de Buda, como o nascimento, a morte e iluminação. Hoje, as stupas são recriadas em vários templos espalhados pelo mundo. Um ritual no budismo é caminhar, no sentido horário, em volta de monumentos sagrados. Por isso, não estranhe se ver pessoas caminhando em volta delas.

templo-budista-tres-coroas-14
Stupas ao Buda Supremo

templo-budista-tres-coroas-12

Também na parte externa, o Buda Akshobia — que significa aquele que purifica a raiva — e a estátua do guru Rinpoche, ambas esculpidas pelo próprio Chagdud Rinpoche, compõe o cenário da Serra Gaúcha.

As cinzas de Rinpoche também estão em uma stupa, situada no Templo Padmasambava, o mais novo deles, que é uma réplica de de Zangdog Parli, a morada o guru.

templo-budista-tres-coroas-7
Buda Akshobia

templo-budista-tres-coroas-10

templo-budista-tres-coroas-11

templo-budista-tres-coroas-4
Templo Budista Padmasambava

templo-budista-tres-coroas-2

O Budismo Tibetano usa muitas cores para expressar as qualidades de nossa verdadeira natureza, que é pura. Os templos e ornamentos são coloridos para recordarmos das nossas próprias qualidades.

Mais do que uma atração turística, o Kadro Ling é um espaço sagrado de reverência e práticas do budismo. Respeite o local e seus moradores. Cada ornamento, monumento, detalhes e cores têm um significado particular e profundo. Aproveite o espaço para pausar sua mente, contemplar e meditar.

templo-budista-tres-coroas-9

templo-budista-tres-coroas-8

templo-budista-tres-coroas-3

templo-budista-tres-coroas-13

Como chegar no templo budista a partir de Porto Alegre

de carro
opção 1 –
 pela RS-020, seguir em direção a São Francisco de Paula. Não é preciso entrar na cidade de Três Coroas, o templo budista fica no distrito de Águas Brancas. Siga a sinalização que indica o caminho para o templo. Seguir 7km por uma estrada de terra, sempre virar à esquerda nas bifurcações.

opção 2 – seguir pela Free Way até o acesso para Cachoeirinha. Pegar a direita, em direção à cidade. Quando atravessar Cachoeirinha pela via principal, pegar a RS-115 em direção a cidade de Taquara (à esquerda), seguir até Três Coroas.

de ônibus
A empresa Cital oferece vários horários de ônibus direto para Três Coroas. Confira os horários no site: www.rodoviaria-poa.com.br. Outra opção é pegar um ônibus para São Francisco de Paula e pedir o motorista para descer na parada 177. De lá, são 3km até o templo (é possível ir caminhando).

Horário de funcionamento 

Quartas às sextas: das 9h30 às 11h30 e das 14h às 17h.
Sábados e domingos: das 9h às 16h30.
Segundas e terças: fechado para visitação

  • Entrada gratuita
  • É proibido fumar em qualquer aérea do Khadro Ling.
  • Grupos com mais de dez pessoas devem agendar a visita.
  • Praticantes e interessados no budismo tibetano podem fazer retiros espirituais.
  • O local não possui restaurante, nem lanchonete. Bebidas não alcoólicas (água e refrigerante) podem ser comprados na lojinha
  • Há uma programação de palestrar e retiros, também, de práticas de meditação abertas ao público. Confira as datas no site do templo.
  • Não é permitido hospedar no templo. Apenas os praticantes do budismo tibetano podem fazer retiros espirituais. No entanto, existem hotéis e pousadas próximos. Para buscar hospedagem com os melhores preços, busque pelo Detecta Hotel.

Site do templo: kl.chagdud.org

7 COMENTÁRIOS

  1. Quando morava em Novo Hamburgo fui com meu amigo pedalando, em um dia muito quente. O esforço da subida valeu muito a pena, a paisagem é maravilhosa, o lugar todo muito inspirador e calmo, o templo e tudo ao redor diferente de tudo o que estamos acostumados. Recomendo para todos que buscam um “descanso” da rotina e paz.

  2. gostaria de saber se teria como fazer o retiro quem nunca fez meditação e quanto cuta para ficar lá. Quanto tempo é o retiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.