Diferença entre Turismo Voluntário e Turismo Solidário

21
1145

Você sabe me dizer qual é a diferença entre Turismo Voluntário e Turismo Solidário?! Não é novidade para ninguém que levanto a bandeira para um turismo mais humanizado, onde o contato com destino possibilite experiências singulares que estimulem o visitante ir além. Além dos pontos turísticos, além das comodidades de serviços, além dos medos impostos, além dos (pré)conceitos, além das barreiras étnicas e culturais.

Turismo Voluntário e Turismo Solidário

Ao viajar tento interagir com o local de forma mais direta, buscando somar com a comunidade. Na prática, uso minhas habilidades e troco experiências por vivências.

Com o tempo percebi que há uma grande diferença entre fazer Turismo SolidárioVoluntário. E essa diferença tão tênue entre um e outro, ainda confunde muita gente. Mas uma coisa é certa, todas têm o mesmo fim: “fazer o bem, sem olhar a quem”.

Turismo Voluntário 

turismo voluntário

Se você entende turismo como uma atividade que envolve deslocamentos e permanência fora de seu ambiente de residência, como define a OMT — Organização Mundial do Turismo. Podemos afirmar que o turismo voluntário é uma atividade praticada há anos. Não é de hoje, que pessoas deslocam-se do seu lugar de origem para ajudar quem necessita. Exemplo disso são os Médicos Sem Fronteira, organização criada em 1971 por médicos e jornalistas voluntários, que hoje somam mais de 31 mil profissional de várias aéreas de atuação.  Eles rodam o mundo oferecendo serviços gratuitos para populações sem recursos que vivem em estado de calamidade (regiões de conflitos armados, epidemias, catástrofes naturais, refugiados e desnutrição).

O que acontece hoje é propagação desse tipo de viagem como uma resposta imediata às necessidades de mudanças no mundo. Muitos viajantes não se contentam mais em ficar imparciais diante da realidade do local, alimentando-se somente de uma estrutura moldada e superficial do turismo. Os viajantes querem mais! A partir do momento que eles percebem sua importância como peça de uma engrenagem que não para de girar, o roteiro muda. Percebem que de alguma forma podem contribuir com o local e saem em busca de viagens que possam mudar a si próprio e a vida de outras pessoas. 

De uns tempos para cá, há uma “viralização” do Turista Voluntário. Os serviços turísticos, que até então queriam colocar por “debaixo do tapete” as necessidades emergentes de seus destinos, questionam por quê o viajante não se contenta em  conhecer o ponto turístico. Nesse mesmo tempo, o mercado corre para entender que tipo de turista é esse. Enquanto isso, órgãos responsáveis pelo turismo buscam, além de entender, conceituar e segmentar. (Eles adoram conceitos e segmentos.)

Mas acredite. Está em ascensão um movimento de pessoas que se deslocam do seu lugar de origem, para oferecer seu tempo e trabalho, em prol de comunidades que necessitem de suas habilidades. Sem receber qualquer remuneração financeira em troca.

Ainda somos um país receptivo desse tipo de turismo. Talvez um dos motivos que não nos torne volunturistas é nosso curto prazo de férias, que limita o trabalhador a viajar entre 15 a 30 dias. Somente. Esse trabalhador geralmente reclamou o ano inteiro, já está de “saco cheio” do chefe e das pressões corporativas. Quando tira férias só que saber da sua cervejinha à beira mar lá em Fortaleza. Fazer trabalho voluntário o quê?!

O contrário acontece em países como nos Estados Unidos e na Europa, maiores emissores de turistas voluntários. Com suas licenças sabáticas estimulam estudantes e profissionais ao afastamento de longo prazo, para trocas de experiências, afim de garantir uma reciclagem profissional. Esses momentos de pausa são vistos como fundamentais para o crescimento e formação profissional e pessoal. Importante também, para repensar valores.

Mas ainda há esperança no Brasil. Devagar o turismo voluntário vai ganhando o coração de jovens brasileiros que visualizam a possibilidade de inserir o trabalho voluntário em suas viagens. As empresas também movimentam-se para acompanhar essa nova tendência e já somam 150 instituições públicas e privadas que trabalham com esse tipo de viagem no país.

Turismo Solidário

turismo solidário

Assim como volunturista, o que move o turista solidário é a mesma necessidade de ajudar o outro. Embora sua troca com o destino seja de forma mais sutil, a ponte entre o local e o viajante também é feita em prol de causas sociais. O turista solidário é consciente de sua importância como ferramenta para ajudar no desenvolvimento local de forma participativa, de acordo com sua disponibilidade, sem um compromisso de interação direta ou a longo prazo.

Ou seja, há um envolvimento com a comunidade, mas não necessariamente há uma troca vivencial entre um e outro. Para clarear, entenda que o turista solidário além das causas sociais também abrange aspectos econômicos do local, estimulando o turismo sustentável. Veja esse exemplo: O viajante solidário em vez de comprar um artesanato em uma loja com vários produtos terceirizados, vai diretamente no artesão, busca entender como é feito pois valoriza essa troca de saberes com outro. Ou prefere comprar em cooperativas. Mesmo não tendo o contato com o artesão, sabe que a renda será direcionada a ele de forma mais justa. Ao contrário do volunturista, que vive a experiência com o artesão afim de promover melhores condições de trabalho para ele e a comunidade.

O turista solidário oferece o que pode, ao contrário do turista voluntário que oferece o que necessitam. 

Outro aspecto do turista solidário é que ele não precisa dispor de muito tempo para contribuir. Ao viajar, pode levar na bagagem ajudas humanitárias para doar como livros, comidas, roupas, materiais de construção, materiais de saúde, entre outros. Dessa forma, pode ajudar sem precisar comprometer seu curto tempo de férias.

Um projeto que tem dado certo é o Turismo Solidário aplicado em Minas Gerais. Ele acontece em várias localidades de rico patrimônio natural e cultural, porém com baixos índices de desenvolvimento humano. O programa atua como mola propulsora do desenvolvimento sustentável na geração de trabalho e renda para as comunidades, como definem.

A principal característica do Turismo Solidário é despertar o sentimento humanista ao viajar, utilizando dos atrativos naturais e culturais como: montanhas, cachoeiras, rios, festas tradicionais, artesanatos e monumentos históricos, para estimular o turista a conhecer o local e em contrapartida exercer uma pratica de solidariedade.

Turismo Voluntário X Turismo Solidário

O turista voluntário ou solidário, busca trazer conforto para pessoas e localidades que necessitem de atenção. São viajantes que estão dispostas a mudar o mundo enquanto viajam. Pegar a estrada ultrapassou a necessidade de satisfação pessoal e sim, a possibilidade de vivenciar através do outro uma realização conjunta..

Em favor da humanização do turismo, transforme em ação. Viaje e transforme o mundo! ♥

..
Mais postagens do tema:

21 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia Cris. Muito interessante o artigo. Venho tentando encontrar organizações que proporcionem o turismo solidário, pois sempre tive interesse em participar de tais ações com o pouco tempo que tenho disponível. Você poderia me informar um contato, ou site de alguma organização que possa me auxiliar neste quesito?

    • Olá Raquel, infelizmente desconheço alguma organização específica para indicar. Mas vamos deixar aí seu comentário, quem sabe não aparece alguém para dar uma dica? Boa sorte! ♡

  2. Sou de Mesquita e estudo em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense no Rio de Janeiro. Estou no 5º período da Graduação de Tecnologia em Gestão do Turismo, portanto na hora da escolha do tema do PTCC; como é em dupla, meu colega Pablo sugeriu falarmos sobre Turismo Solidário; eu, prontamente, concordei, citando um exemplo que assisti em um programa de televisão, no qual um pequeno grupo de dentistas passava grande parte do ano, planejando uma viagem de Turismo, enquanto trabalhavam é claro, no período de férias; nesta viagem iriam a Turismo, sendo que, iriam para fazer o bem! Iriam cuidar de pessoas carentes. Até o dia 25/11, teremos de enviar a proposta do nosso Projeto, que será apresentado no 6º período. Estamos com uma certa dificuldade para encontrar referências impressas e/ou convincentes para compor no TCC. Passei esta noite pesquisando e encontrei algumas experiências na Internet. Achei o máximo o conteúdo do seu site, assim como suas vivências. Precisaremos citar trechos e fotos no nosso TCC e precisamos de sua autorização e ajuda para isso. Amei tudo! Aguardo seu retorno! Abraços!

  3. Sou de Mesquita e estudo em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense no Rio de Janeiro; estou no 5º período da Graduação de Tecnologia em Gestão do Turismo, portanto na hora da escolha do tema do PTCC; como é em dupla, meu colega Pablo sugeriu falarmos sobre Turismo Solidário e eu, prontamente concordei, citando um exemplo que assisti em um programa de televisão, onde dentistas passavam grande parte do ano, planejando uma viagem de Turismo, no período de férias, mas, para fazer o bem, cuidar de pessoas em determinado local carente. Até o dia 25, teremos de enviar a proposta do Projeto que apresentaremos no 6º período; estamos com dificuldades para encontrar referências impressas e/ou convincentes. Passei esta noite pesquisando e encontrei algumas experiências na Internet; achei o máximo o conteúdo do seu site, assim como suas vivências. Precisaremos citar trechos e fotos no nosso TCC e precisamos de sua autorização e ajuda para isso. Amei tudo! aguardo seu retorno! abraços!

  4. Estou simplesmente totalmente profundamente arrepiada em encontrar esse nível de informação sobre voluntariado e turismo.
    Fui voluntária, estudei, coordenei programa de voluntariado e minha monografias e trabalhos de conclusão tiveram alinhados ao tema. Pesquisei voluntários estrangeiros aqui na Região Metropolitana de Recife junto a uma amiga e estou tentando escrever um artigo.
    De repente me deparo com um mundo de informação que não era disponível em 2005 ou que não era fácil de acessar.
    Que ser humano iluminado, divertido, engajado é você Cris.
    Como faço para poder citar suas falas, seus textos tão ricos nesse artigo.
    Desejo muita, mas muita luz no teu caminho!
    Só em ler suas palavras, ver seu blog e encontrar tantas outras coisas meu post no meio do jogo rolando (que não assisto)foi impossível não postar no face:
    e eis que de repente, viajando em matérias para escrever um artigo, meus dedos não param diante do teclado e querem expressar o inevitável, lá vem:

    A vida é muito curta para ficar aqui
    Eu preciso ir
    Preciso partir
    Chegou a hora de me despedir
    Já sabia que um dia precisaria ir
    Já não posso ficar aqui
    Vou fugir
    Mas não vou sumir
    Sair por aí
    Voluntariar e sorrir
    Um dia precisarei me despedir
    Só de escrever, tentei me impedir
    Mas não consegui
    Difícil demais ficar dentro de mim
    Esse mundo é tão gigante
    Aqui tá tudo apertado
    Não dá para me espalhar
    Preciso ir (Tatiana Lucas)
    Tudo que me inspirou tá aqui:
    http://www.dentrodomochilao.com/2014/03/onde-realizar-trabalho-voluntario-lencois-ba/

    • Olá Tatiana, que delícia abrir o blog e encontrar um comentário tão lindo. Gratidão por partilhar tão belas palavras inspiradas pelo meu texto! <3 Vamos trocar "figurinhas" sobre o tema? Fico muito feliz em encontrar pessoas tão envolvidas com o volunturismo no Brasil.

      Grande abraço!!!!

      • Oi Cris,
        Legal demais sermos inspiradores no caminho de tantos:)
        Olha só, com te escrevi, estou atualizando um artigo de uma monografia que escrevi em 2005 para minha atividade do mestrado. E gostaria de pedir sua permissão para postar alguns de seus depoimentos encontrados no site, citando a fonte do Dentro do Mochilão.
        Qual é o seu email?
        Pesquisei vários sites e blogs falando sobre o assunto, mas percebo que muitos deixaram de escrever.
        Também te sugiro que possas encontrar uma forma em teu blog de divulgar: monografias, artigos, dissertações e teses voltados para os temas que desenvolves tão bem. Juro que você encheria mil acadêmicos de orgulho pela sua experiência fantástica.
        Gostaria também de conhecer como é seu trabalho, você ministra palestras sobre suas experiências? Em geral para que público?
        Grande abraço e muita luz:)

  5. Ola! Achei incrível teu blog. Eu e minha mulher temos muita vontade de viajar dentro do Brasil, para realizar trabalho voluntário. Mas estamos achando muita dificuldade em encontrar programas para tal. No post vc cita que existem mais de 150 instituições que trabalham com este tipo de turismo no Brasil, ficariamos muito gratos, se nos passasse o site ou contato de algumas. parabéns!

    • Olá Fernando, agradeço seu comentário! Sobre as instituições, infelizmente esses dados foram registrados durante uma pesquisa na época que estava na faculdade e, já faz alguns anos que não tenho mais os nomes. No entanto, criei uma nova série no blog chamado “onde realizar trabalhos voluntários”, baseando nas minhas experiências em lugares por onde passei, quem sabe algumas delas não agrada vocês? O primeiro post foi esse: http://www.dentrodomochilao.com/2014/03/onde-realizar-trabalho-voluntario-lencois-ba/ Com o tempo vou publicando outros, não deixe de acompanhar.
      Grande abraço!

  6. Olá Cris! Já faz tempo que procuro informações sobre Turismo Voluntário, infelizmente algumas agências tiram proveito e até dobram o preço da viagem. Meu sonho como viajante é fazer voluntariado, deve ser uma experiência incrível. Aqui na Austrália fiz trabalho voluntario em uma creche, visando fazer isto em um país onde realmente as pessoas necessitem.
    Tenho um blog “recém-parido” e espero fazer relatos de alguma experiência assim. Parabéns pelo blog.
    Beijao

  7. Eu acho simplesmente fantástica a forma como você consegue tornar tudo tão simples e mágico. Quero ser como você quando crescer.
    Por enquanto, vou como uma formiguinha, fazendo pequenas ações na medida do que posso. Nessa última viagem que fiz, foi até curioso pois estava na vila da cidade e me deparei com um pequeno artesão de rua e me encantei com seu trabalho. Passei tanto tempo observando ele e suas frágeis mãozinhas… me senti muito pequena em não poder fazer nada por ele naquele momento já que estava trabalhando e com o grupo correndo. Enfim, você tem um olhar muito lindo e que toca o nosso coração.
    Parabéns pela pessoa doce que és.
    Beijos no coração.
    Naira Amorelli.

    • Naira, agradeço por seu carinho e suas lindas palavras. Acredito que se cada um fizer um pouquinho, no final estaremos fazendo um montão para quem precisa. O importante é sair do “desejo” e ir para “ação”. Aí sim, começamos a mudar o mundo. 😉
      Bjooo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.