Reflexão sobre meus (quase) 2 meses viajando sozinha e sem roteiro pela Europa

79
889

Ano passado fiz 30 anos e para marcar esse momento “mulher de trinta” meu pai me deu de presente uma passagem de ida e volta para Portugal. Não tive muita opção de data porque embora ele faça umas gracinhas de vez em quando, elas precisam caber no seu orçamento nada exorbitante. Um dia ele me ligou e falou: “olha, consegui encontrar uma promoção de R$1.570 (ida e volta) para Lisboa na Europa, mas o embarque é semana vem. Pegar ou largar?”. Peguei, claro!

Cinco dias antes do meu embarque (que seria em Minas Gerais) ainda estava em Brasília. Estava ali, no chamego dos amigos, de “férias”por quase 3 meses. Confesso que pela primeira vez foi difícil ir embora.

Fui para Minas, troquei as roupas da mochila. E na ida avisei meus pais que eu não voltaria na data prevista. Decidi perder a passagem de volta e seguir viajando durante meus 3 meses permitidos de turismo na União Européia. Afinal, não é todo dia que se ganha uma passagem para essas bandas de lá.

Minha viagem começou em Portugal pois fomos visitar meu irmão que mora em Coimbra. “Fomos” no plural, porque meus pais já estavam planejando visitá-lo e com o preço da passagem aproveitaram a viagem. Eles ficaram poucos dias, mas foi o suficiente para minha mãe me perguntar todo santo dia: “Como você vai conseguir comer durante sua viagem? Você tem dinheiro para se manter tanto tempo? E o frio?”…aquelas coisas de mãe.

Quinze dias se passaram e “perdi” propositadamente a passagem de volta. Ao tomar essa decisão encarei o alto preço do euro, não tive medo da barreira linguística e me joguei no “Velho Mundo” sem nenhum planejamento ou roteiro.

Teve gente dizendo que eu iria ser deportada (oi?), que sem saber falar inglês seria impossível me comunicar, que viajar pela Europa sem um roteiro seria loucura, que precisaria de no mínimo uns €100 por dia, que seria perigoso sendo uma mulher viajando sozinha… e um monte de barreiras criadas por essas pessoas que nem ao menos têm ideia como ou a experiência de como é de fato viajar nessas condições.

Resolvi levar em consideração os que me disseram para trazer de volta para o Brasil boas histórias, tirar belas fotos, ter encontros felizes, reconhecer as sincronicidades, compartilhar alegrias, mergulhar na água até afundar os cabelos, admirar o céu estrelado, ouvir músicas para alegrar o corpo, viver a vida com curiosidade de um aprendiz…

Nesses quase 2 meses de viagem eu aprendi a falar um pouco de inglês, aprendi palavras em galego, francês, italiano, holandês e curdo (!). E meu espanhol? Vai bem, obrigada. Consegui me comunicar com todas as pessoas que encontrei, mesmo quando todos os envolvidos não falavam nenhum idioma em comum.

Até o momento que escrevi esse post passei por mais de 20 cidades, 5 países e gastei uns €300 nesse tempo todo. Economizei não pagando por hospedagem usando o Couchsurfing, ou me hospedando em casas de pessoas iluminadas que apareceram no meu caminho. Também economizei na comida, pois grande parte das vezes comemos em casa.

Não deixei de ir em nenhum lugar que quis conhecer. Se não podia chegar de ônibus, peguei carona.

Continuei viajando, sem roteiro, escolhendo meus destinos pelas dicas das pessoas locais e seguindo algumas sugestões dos leitores do blog e da galera nas redes sociais. Ah, também não paguei nada super caro por não planejar. Ninguém melhor do que as pessoas que vivem nos locais para indicar o caminho alternativo. Fato.

Em nenhum dia na Europa fiquei completamente sozinha, sempre estive acompanhada de pessoas lindas, dispostas a me mostrar cada segredo de sua cidade.

À caminho de Dortmund, na Alemanha, quando comecei a refletir sobre tudo isso (enquanto observava o pôr do sol), cheguei à conclusão de que as dificuldades que nos limitam, muitas vezes, estão no imaginário coletivo daqueles que nunca ousaram ir além. As referências negativas são distantes da realidades e elas podam os sonhos, todos os dias.

Por isso lhe digo… permita-se viver e não se deixe vencer pelo medo daquilo que desconhece. A verdade do outro nunca será a sua. Então vá! Caminhe e descubra a sua verdade.

cris-marques

[Feliz da vida pedalando pelos campos de tulipas em Lisse, Holanda]

Europa

[Precisava de uma hospedagem em Salamanca e postei no facebook. Um amigo do meu irmão me passou o contato de um cara que nem ele conhecia… Entrei em contato com “tal” Alex — esse de cabeça para baixo — que sem hesitar me ofereceu estadia na sua casa. Quando cheguei ele estava viajando e pediu que eu pegasse com uma amiga dele, me disse para ficar à vontade, pois só chegaria de viagem em 1 ou 2 dias.]

Foto 07-04-15 16 58 12

[Esse cachorro me acompanhou por quase 2 horas na “Puente Nuevo” em Ronda, Espanha, Europa. Quando seus donos apareceram me convidaram para tomar um café e depois me deram carona até a rodoviária.]

Foto 10-04-15 14 14 35

[Ana Lua é essa linda que me recebeu em Barcelona. Já nos conhecíamos do circo em Brasília, mas nosso (re)encontro nos trouxe muitos aprendizados e muitas comidinhas naturais delícias!]

Foto 21-04-15 14 36 27

[Fran (esse do canto esquerdo) é espanhol e trabalha no hostel onde fiquei por uma noite em Amsterdam, Holanda. Cheguei às 2h da manhã e ficamos conversando na recepção madrugada adentro… Ao me despedir para dormir ele me ofereceu hospedagem na casa que divide com o amigo colombiano. Me cedeu seu quarto e dormiu no sofá da sala, mesmo eu insistindo que não teria problema dormir no sofá.]

Foto 22-04-15 01 26 45

[Essa mulher foi meu anjo! Joana é de Gana, mas mora em Dortmund há muitos anos. Ela ficou comigo das 22h até 1h40 me ajudando durante meu momento super perdida em uma cidade desconhecida e fria da Alemanha. Ela me ajudou com as traduções de inglês/alemão com o taxista, caminhamos até tentar achar um hotel, voltou comigo no táxi, fomos até o ponto de ônibus, me ofereceu sua casa para passar a noite… e por fim, me ajudou como chegar onde precisava.]

Foto 25-03-15 23 18 03

[Medéia acompanha o blog pelo facebook e quando soube que estava em Portugal me ofereceu hospedagem e me guiou pela cidade de Aveiro, Portugal. Esse é o recadinho do seu amigo português que divide o apartamento com ela.]

Foto 04-04-15 22 40 341

[Hélio respondeu meu pedido de emergência pelo Couchsurfing um dias antes da minha chegada em Madrid, Espanha. Ele havia acabado de se mudar e eu fui sua primeira “guest” da nova casa.]

Foto 30-03-15 20 47 04

[Em Ribadeo (Espanha/Europa) entrei no restaurante de um hotel para perguntar o preço da diária. Achei caro (€18) e enquanto pedia um desconto para a atendente essas senhoras argentinas me chamaram para tomar um café, com a condição que eu contasse um pouco da minha história viajante. Lindas! Depois da nossa longa conversa nos despedimos calorosamente. Por fim, consegui negociar a diária por €15, fui no quarto deixar minhas coisas, tomei um banho e quando desci fui informada que minha diária já havia sido paga pelas senhoras.]

Essas são algumas histórias, das tantas pessoas maravilhosas que encontrei pelo caminho…

Termino esse post com a famosa frase de Amyr Klink: “Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver.”

Assim foi um pouco da minha experiência de viajar sozinha pela Europa, sem planejamento e essa viagem ainda durou mais 1 mês.

79 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia, Cris!

    Acabei de conhecer o seu blog e estou adorando o compartilhamento de suas experiências com viagens. Eu sempre viajava com minha mãe, mas agora tenho viajado sozinha aqui mesmo no Brasil. Vou fazer minha primeira viagem internacional sozinha o mês que vem, para o Uruguai. Tenho o desejo de conhecer outros lugares do mundo também, mas só falo português, então tenho um pouco de receio de esbarrar em dificuldades no quesito linguagem verbal.

    • Olá Alissângela, pode ser uma barreira sim não falar a língua local, mas nada que alguns aplicativos de tradução não possam te ajudar. Muita luz na sua próxima jornada! <3

  2. Que delícia de site! Sempre viajo sozinha e AMOOOOO, NÃO HÁ COISA MELHOR! Ao mesmo tempo que encontramos pessoas geniais e nos conectamos com o mundo através dos outros, nos apropriamos de nós mesmas em maravilhosos momentos de “solidão”. Observar, provar (cheiros, gostos, cores) e aproveitar tudo o que uma viagem nos proporciona é inesquecível! Um beijão pra você! Gratidão <3

  3. Nossa, seu depoimento me emocionou. Seu texto é perfeito e tem uma pitada de tudo que é melhor em uma viagem, o autoconhecimento, a aceitação e o grande aprendizado. A vida é uma só, com amarras não podemos olhar todos os cantos dela. Parabéns serzinha iluminada.

  4. Que emocionante seu post S2 . Estou planejando minha primeira viagem sozinha mas perto da sua, eu estarei “em casa”. Irei para o Atacama tentar me encontrar. Ficarei poucos dias mas o suficiente para dar aquele friozinho na barriga. Que meu caminho seja repleto de luz como foi o seu. Te desejo vida longa para levar inspiração a todo canto do mundo e que todos os dias pessoas lindas cruzem o seu caminho:)

    • Juliana, lindeza! Espero que seu jornada de encontro a si seja leve e cheia de histórias para contar. Que possamos sempre encontrar pessoas que nos inspiram pelo caminho. Gratidão por sua partilha. <3

  5. Ola Cris…
    Como muitos dissera… seu relato é inspirador. E me ajudou a seguir com o Sonho(plano) de partir para o mundo… Obrigada

  6. Cris, abri seu blog porque queria inspiração (de vida e não de viagem) e cheguei nesse post.
    Pode ser piegas ou romântico, mais meu coração se aqueceu em saber que ainda existem muitas pessoas do bem, dispostas a acolher, ajudar e transcender!
    Me emocionei com as duas senhoras argentinas, e com as outras tantas pessoas iluminadas que você encontrou na sua caminhada.
    Em tempos cada vez mais cinzas, como é bom ver esse mundo colorido que você nos apresenta!
    Mil beijos

    • Marcella, sua linda! Esse mundo é muito colorido, com pessoas maravilhosas, basta estarmos abertos para receber todas essas cores. Gratidão por sua presença por aqui! ♡ Muitos beijos

  7. Poxa que relato viu.. me inspirou demais.!
    Falo nada em ingles mas tenho treinado no duolingo.. o que me da mais medo é a imigração.. mas seu relato meu deu forças.. estou planejando passar o mes de abril de 2017.

  8. Oiii Cris! Em março chego em Milão e inicio uma viagem ainda sem roteiro, tenho 22 anos e estou ficando maluca com as milhares de opções. Você me indicaria algum roteiro, ir de trem ou avião? Pretendo ficar por volta de 30 dias viajando. Espero ter a sorte de encontrar pessoas tão iluminadas assim, como você encontrou!! Dá um medo danado..

    • Olá Blanca! Dá medo mesmo, mas depois que a primeira porta se abre você vai ver o tanto que as pessoas são maravilhosas! Eu acabei emendando uma viagem na outra e não consegui concluir meus posts dessa trip da Europa, mas vou colocar em breve todo meu trajeto de 3 meses de viagem. Amei imensamente a Itália e um dos lugares que recomendo conhecer é Pompéia e a Costa Amalfitana. Que sua jornada seja leve e surpreendente!

  9. Oii Cris, como vai ? Adorei seu post sobre a viagem! Parabéns pela coragem e atitude, simplesmente amei. Me senti muito motivada ♥ Bom, ultimamente tenho passado por uma fase muito complicada, por conta disso, resolvi programar uma viagem. A principio seria em julho, mas as passagens para o Leste Europeu está absurdamente caras, infelizmente. Então pensei no seguinte, por que não fazer um mochilão de férias no final do ano? Parece perfeito, afinal tenho mais dinheiro guardado, mais tempo e as passagens são mais baratas. Porém, sou mulher, tenho 23 anos e seria a minha primeira viagem para Europa sozinha. Estou pesquisando bastante, guardando bastante dinheiro e toda aquela coisa. Gosto de programar bem e ir sem preocupações 🙂 Couchsurfing é uma boa opção para pessoas de primeira viagem ? É seguro ? Segurança na Europa, é tranquilo para uma pessoa mais nova viajar sozinha ? Bom, são tantas perguntas mas espero que você me dê boas dicas e me dê uma boa tranquilizada. Obrigada ♥ E um feliz ano novo

    • Olá Greici,não posso afirmar que o CS é seguro pois estamos vulneráveis em qualquer lugar e em diversas situações. Mas posso te falar que as minhas experiências foram as melhores, com as pessoas mais queridas! Respostas sobre ser seguro ou não são tão vagas quanto te perguntasse: é seguro atravessar a rua do centro da sua cidade. Pode ser que sim, mas alguém também pode ser atropelado. Ou, é seguro comprar pão na padaria perto de casa? Pode ser que sim, mas pode ser que um dia algo ruim aconteça durante o percurso. Qualquer resposta será indefinida. O que você precisa fazer é viver a SUA experiência para encontrar a resposta. Mas acredite, no mundo existem muito mais pessoas boas do ruins. 😉

      Aqui tem um post sobre o CS: http://www.dentrodomochilao.com/2013/11/couchsurfing-hospedagem-gratuita-no-mundo/

  10. Oi Cris encontrei seu blog e simplesmente não consigo parar de ler. Rs
    E esta sua viagem! Que inspiração! Tanta gente iluminada que apareceu em seu caminho. Eu realmente acredito que quando temos um sonho “o universo conspira a nosso favor”. Mas é preciso dar um passo em direção a este sonho! Parabéns linda!

  11. Muito maneiro o que acabou de contar. E você tem total razão quem cria as barreiras somos nós mesmos. Conheci seu blog hoje e pode ter certeza que virei fã dele. Obrigada por compartilhar suas experiências.

    abraço

  12. Parabéns Cris,acabei de conhecer o seu blog e posso te afirmar que ganhou uma leitora
    As suas histórias são incríveis e inspiradoras,eu anseio pela minha,porém de assim como vc ser nomade da net ainda não me possibilitou as condições necessárias.
    Continue com artigos sobre suas experiencias e viagens por que isso ajuda muito,a quem como eu está disposta a viajar a qualquer lugar do mundo!

  13. Oiii! Achei linda a atitude e me senti muito inspirada! Vou viajar sozinha pela Itália próximo mês e algumas pessoas já tentaram me desmotivar por ser perigoso ser mulher brasileira, por poder haver preconceito e desrespeito por isso. Vou fazer a viagem igual por não achar que isso deve ser uma barreira, mas queria saber se sentiu algo nesse sentido. Vai mr ajudar mt a opiniao pq n conheco uma menina proxima que tenha viajado sozinha, entao queria mtmtmt a ajuda mt obri

  14. Linda, inspiradora, iluminada!!! Muito bom ver exemplos como o teu!!
    Me preparando para o meu mochilão no ano que vem pela Europa, também sem roteiro e pouca grana, acredito que também terei oportunidade de conhecer muitas pessoas de bem!!! Que o mundo seja cada vez mais acolhedor! E entre em contato caso queira conhecer um pouco do Rio Grande do Sul! 😉

  15. Cris, a sua história é inspiradora, tenho muita vontade de conhecer o Curdistão e a Turquia, mas não falo uma palavra em outro idioma, e pra mim essa é a maior barreira; a da comunicação, que conselho você me daria concernente a essa dificuldade? Beijos linda!

    • Olá Ângela, para essas regiões acredito que seria importante saber falar pelo menos inglês para aproveitar melhor a experiência. Além disso, são países de culturas muito diferentes da nossa, não dá para passar perrengue nesses lugares… =)

  16. Cris, olá. Encontrei seu blog em uma busca sobre trabalho no Equador, e agora estou madrugada adentro lendo seus posts repletos de inspiração. Adorei este! Me tira uma dúvida: Comentou sobre aprender inglês nesta viagem. Você tinha uma base e meteu as caras? Pergunto isso, pois uma das minhas “nóias” em viajar é não dominar o idioma. Tenho uma base de inglês, mas sou um tiquinho bloqueada pra conversação 🙁 Sei que estas experiências são ideais pra isso, mas quero saber de você como foi. E outra coisa, como foi pra conseguir o trabalho no Equador, já tinha contatos ou consegui lá? Tbe tenho a ideia de ir pra lá tentar fazer alguma grana pra seguir pela América do Sul. No mais, muitas novas caminhadas viajeiras por aí. Tudo de melhor e não deixe de escrever.

    • Olá Juliana, não tenho base. Fui na cara, coragem e mímicas. hehe Acredito que o mais importante é se libertar para dar o primeiro passo. Confesso que foi surpreendente descobrir que não são todas as pessoas do mundo que falam inglês (ainda bem, né?! rs). Na realidade, pelos lugares mais turísticos todos sabiam falar inglês, mas também encontrei muitos que falavam espanhol (língua que tenho fluência). No entanto, quando viaja para o interior (como foi na Alemanha, Itália e Grécia) não encontrava com muitas pessoas que falavam inglês. Ou seja, com ou sem inglês não mudaria nada!

      Sobre o trabalho no Equador consegui quando cheguei lá por indicação de outros amigos que viajavam e trabalhavam nesses locais.

      Grande abraço!

    • Cara Juliana,acaso a senhorita não teria interesse em viajar acompanhada para o Equador? Eu já fui para o Caribe e Mesoamerica,mas já estou cansado de viajar sozinho..

  17. Oi, Cris!
    Quem sabe um dia eu consiga fazer a minha jornada!
    Tu é linda! Casa comigo? Ou quem sabe um café em algum lugar do mundo… 🙂 Ah, sou taurino.

  18. Fico lendo essas histórias pra alimentar meu sonho, mas a realidade nunca me permitiu nem sair do Brasil, além de ser mulher sozinha, não tenho grana pra variar. Queria saber se você chegou a arrumar algum trampo nesse período?

  19. Te achei ontem no instagram e já estou louca pelo seu blog…pela segunda vez to indo pra europa sozinha e é muito inspirador e me ler relatos de mulheres como você me dar muita coragem e força para fazer minha viagem…
    obrigada

    • Olá Dan, gratidão por seu comentário. Então, acho que não vou publicar nada sobre Lisse. Tive um contato mais íntimo com a cidade, ficando na casa de uma família local e por isso, não conheci nada turístico. Foram dias em família, com comidinhas feitas em casa, conhecendo quintais e aprendendo sobre a cultura local de outras formas…

      Beijo grande!

  20. Cris, (re)ler este post depois de ter te conhecido pessoalmente ganha outra dimensão… Você é iluminada!!

    Obrigada pela companhia e amizade na última trip!!

    Ana

  21. Olá Cris! Tudo bem? Poxa, compartilho com vc o amor por viagens e tb o signo! Haha me emocionei ao ler seus relatos principalmente com as argentinas… Fofas! Atualmente estou morando na França e concordo pelanemente com vc…. As pessoas que encontramos na nossa vida….. Ainda bem que existem países pra serem explorados, nossa boa vontade, e boas pessoas espalhadas pelo mundo! 🙂

  22. Me emocionei com todo seu relato, principalmente com o apoio das hermanas argentinas. Obrigada por compartilhar conosco, é tão bom ver o quanto o mundo é belo e cheio de gente linda.
    Beijos e vou mentalizar para que ainda consiga desbravar muitos outros continentes.

    • Olá Érika, eu que agradeço por vocês receberem com tanta amorosidade as minhas histórias. Estou torcendo para que você consiga desbravar outros continentes.
      Beijo grande!

  23. Que bom ler um relato desse, você me inspira! Meu sonho é viajar o mundo, só pelo prazer de se aventurar no desconhecido e conhecer pessoas maravilhosas. Que bom que o mundo é recheado de “anjos”! Obrigada por compartilhar sua experiência, irei fazer meu primeiro mochilão pela Europa; cheia de receios, mas vou com a cara e a coragem rsrsrs.

    Beijos de alguém que admira sua coragem e sorriso! 🙂

  24. Muito bacana a sua viagem, Cris! Sim, a Europa é um lugar ideal pra aventuras altarnativas, baratas e ricas. Só precisa de vontade, mente e também conseguir abraçar todas as coisas que aconteçam, pois uma viagem sem roteiro sempre é uma viagem dentro de si também. Continua na mesma onda, Cris, o mundo precisa deste tipo de inspiração.

  25. Muito bom seu blog, gostei muito de ler sobre o que você viveu, inspirador. Logo começarei também.
    Abraços e continue escrever pra nós por favor. 😀

  26. Encantada com seu texto!! Esse é o meu sonho, sair viajando pelo mundo sem rumo e economizando o suficiente! Tão bom ver que é possível, bjão.

  27. Muito legal seu relato! A parte das senhoras argentinas parece coisa de filme hehe, muito bacana. Daqui duas semanas vou fazer meu primeiro mini-mochilão pelo Atacama e Salar de Uyuni na Bolívia. O próximo destino certamente será a Europa.

  28. Você é minha inspiração ! E ainda temos o mesmo sobrenome ! Seu post sobre lugares sagrados da Deusa e sua ligação com a Teia da Thea encantou meu coração !

  29. Gostei imensamente de todo o relato feito por essa moça corajosa que teve o privilégio de conhecer algumas importantes cidades da Europa, com a cara e coragem. É prova evidente que ainda existem seres humanos de boas intenções. Que Deus te abençoe, para que sejas sempre feliz, com saúde, paz e que sejas bem sucedida da tua profissão . Que assim seja !

  30. Bom mia querida, Cris e um privilegio. Nossa estou tão Feliz .O seu blog era tudo do que eu estava precisando para dar aquele empurrão, como dentro do mochilão .Moro em São Paulo- Brasil E desde já, mia casa e sua, bjos. Mante re contato .ESTOU ME REGISTRANDO AGORA MESMO. Graci .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.